Tubarão

Cães e gatos vítimas de câncer, atropelamento e intoxicação têm na transfusão de sangue uma esperança para sobreviver. No entanto, o problema é que esse tipo de doação ainda não se tornou uma prática entre os donos dos animais, o que significa nem sempre ter sangue disponível quando um pet necessita.

Semanalmente a tutora da gata Joana, a jornalista Priscila Ladislau leva a pet para receber a transfusão. Joana tem um quadro de leucemia felina e suspeita de linfoma. “Cada doação é uma possibilidade de seguirmos em frente com o tratamento dela. Assim como a minha gata precisou, qualquer animal pode precisar também. A doação de sangue em animais ainda é pouco falada, mas, infelizmente, todos os dias existem animais que precisam. Nestes quase dois meses que estamos lutando para salvar a Joana vimos muitos animais precisando”, conta.

O procedimento é tranquilo e dura cerca de 30 minutos e o pet pode doar sangue a cada três meses. Porém, falta mais informação para os tutores, pois poucos sabem que o tipo de sangue entre os pets é bem variado, somente entre os cães são diversos tipos sanguíneos que variam de acordo com a raça. E a transfusão de sangue é realizada quando os cachorros, tanto receptor quanto o doador, são do mesmo grupo sanguíneo ou são compatíveis. Mais uma vez, como para os humanos a necessidade de ter doadores de todo tipo de sangue.

A doação de sangue não prejudica a saúde do animal, ao contrário, ajuda muitos outros. Por exemplo, um cão salva quatro vidas e o felino duas. A veterinária Caroline de Souza Lopes, de Tubarão, explica que a transfusão de sangue é um procedimento que precisa ser analisado quanto aos riscos e também os benefícios ao ser incluído no tratamento de um paciente. Nos cães, esse procedimento ocorre com uma frequência maior que nos felinos e bancos de sangue desta espécie são realidade apenas nas grandes cidades.

Para poder doar sangue, o cão precisa ter acima de dois anos, pesar mais de 20 quilos e estar sadio. A quantidade de sangue retirada depende do peso do animal que receberá a transfusão, no entanto, é sempre uma quantidade que não provoca efeitos colaterais no doador. Já nos felinos a doação de sangue conta com algumas particularidades. Pelo porte do animal não é possível retirar mais do que 60ml de sangue e ele deve ter entre 4,5 e 5 quilos. A idade permitida para doar sangue é entre 1 e 8 anos, tanto nos cães como nos gatos.