Solange Couto foi parar na 41ª Delegacia de Polícia, no Rio de Janeiro, na tarde de segunda-feira. A atriz esteve na Caixa Econômica Federal do bairro, das 15 horas às 15h40min, para pagar uma conta. Ao tentar entrar, o vigilante mandou que ela colocasse todos os pertences – óculos, celular, carteira – no compartimento da porta automática. E, segundo Solange, em tom de deboche, pediu para que abaixasse a roupa para ver se não portava algum objeto metálico. A atriz tirou a bermuda e ficou parada na porta do banco de calcinha.

Abalada, e sem condições de dirigir, deixou o carro estacionado próximo à agência e, chorando muito, telefonou para o seu advogado, Sylvio Guerra, que a aconselhou a registrar queixa na delegacia e esperá-lo lá.
Feito o registro, Sylvio chamou três testemunhas que assistiram a tudo e entrará com ação em vara cível, amanhã, buscando indenização por danos morais, em virtude de sua cliente ter passado por situação vexaminosa.