O primeiro monitoramento aéreo da temporada 2021 de baleias-francas em Santa Catarina foi realizado nesta quinta-feira (8) e registrou a presença de 29 baleias: 21 francas (Eubalaena australis) e 8 jubartes (Megaptera novaeangliae). Na Rota da Baleia Franca foram registradas 15, sendo 13 em Imbituba e 02 em Laguna.

A Diretora do Instituto Australis, Karina Groch, explica que esse ano o avistamento de Baleias Franca ocorreu mais cedo, o primeiro registro foi no dia 12 de junho. O fato pode gerar duas possibilidades: uma temporada com número maior de baleias ou uma temporada antecipada. “Por enquanto são só hipóteses, não temos como prever a quantidade de baleias para este ano”, explica.

A observação aérea ocorreu ao longo da costa que compreende a Área de Proteção Ambiental (APA) da Baleia Franca, desde o sul de Florianópolis até Balneário Rincão, estendendo-se até Torres (RS). A ação é desenvolvida pelo Programa de Monitoramento de Cetáceos da SCPAR Porto de Imbituba e executada pela Acquaplan.

Dentre as francas avistadas, nove eram pares de fêmeas com filhote e 3 adultos. O sobrevoo também registrou uma toninha (Pontoporia blainvillei). Para Gilberto Ougo, coordenador técnico do Programa de Monitoramento do Porto, “a quantidade de indivíduos avistados é muito positiva, visto que ainda estamos no início da temporada das baleias-francas em Santa Catarina”.

A quantidade de jubartes na região também chamou a atenção da equipe. “As jubartes são mais comuns entre os estados do Espírito Santo e da Bahia, onde encontram águas quentes e protegidas para a criação dos seus filhotes. No entanto, nas últimas temporadas foram registradas avistagens dessa espécie em outros estados, como São Paulo, Paraná e aqui em Santa Catarina”, explica Gilberto.

As principais áreas de concentração das baleias-francas foram nas praias da Ribanceira e Itapirubá, ambas em Imbituba, região onde historicamente tem sido observada a maior presença desses cetáceos dentro da APA.

A equipe de monitoramento aéreo, formada por três biólogos e um oceanógrafo, faz o censo e o registro da localização das baleias-francas, além de fotografá-las. As fotos serão utilizadas na identificação dos indivíduos adultos, somente possível através de calosidades que as francas possuem sobre a cabeça, únicas em cada indivíduo, como se fosse uma impressão digital.

O próximo sobrevoo do Porto de Imbituba ocorrerá em setembro, período em que deve ser observado um maior número de baleias-francas no litoral sul catarinense. O último monitoramento aéreo de 2021 está previsto para novembro, no fim da temporada.

 

O Programa de Monitoramento do Porto de Imbituba

O monitoramento realizado anualmente pelo Porto de Imbituba integra o Plano de Controle Ambiental (PCA) da SCPAR Porto de Imbituba, Autoridade Portuária. Em sua 13ª edição, o trabalho abrange duas metodologias: monitoramento aéreo e terrestre. Por terra, a observação ocorre em pontos fixos nas enseadas das praias do Porto e da Ribanceira, entre os meses de julho e novembro.

O monitoramento da frequência dos cetáceos na região possibilita que o Porto estabeleça controles operacionais voltados à conservação da espécie. “O monitoramento de cetáceos realizado pela SCPAR Porto de Imbituba desde 2013 mostra aos portos do mundo que é possível haver o desenvolvimento das atividades portuárias de forma harmônica, cuidadosa e respeitosa com as espécies marinhas locais”, explica Camila Amorim, oceanógrafa e gerente de Saúde, Segurança e Meio Ambiente da SCPAR Porto de Imbituba.

Fonte: Gov. de Laguna