O gerente da loja Koerich, Leonardo de Sousa Nunes, alerta que recebe muitos currículos. Mas falta qualificação
O gerente da loja Koerich, Leonardo de Sousa Nunes, alerta que recebe muitos currículos. Mas falta qualificação

 

Karen Novochadlo
Tubarão
 
No ano passado, cerca de duas mil vagas foram abertas no Sine de Tubarão, 20% a mais que em 2009. Deste total, aproximadamente 1,2 mil foram preenchidas. Ou seja, quase 40% não foram ocupadas. Isso significa que sobra trabalho no município. 
 
De acordo com o responsável pelo Sistema Nacional de Empregos (Sine) na cidade, Mário César de Carvalho, os motivos são três: a falta de qualificação, o salário baixo e o horário de expediente. 
 
A falta de qualificação é a principal dificuldade encontrada pelo gerente da loja Koerich, Leonardo de Sousa Nunes, 34 anos. Hoje existem três vagas abertas para vendedor. A equipe, que deveria ter 12 profissionais, atualmente conta com oito. “Nós contratamos um hoje (ontem). Sentimos a falta de um curso de qualificação na área de vendas. Vender uma geladeira não é o mesmo que um terreno”, justifica. A prefeitura de Tubarão é um dos únicos locais hoje que oferece um curso no ramo.
 
Leonardo informa que muitos currículos são deixados na loja, mas os candidatos carecem de experiência profissional ou formação. Algumas vagas não são preenchidas devido ao horário de trabalho. “Muitas pessoas não querem trabalhar no fim de semana”, relata Mário Sérgio. 
As vagas em lojas que funcionam em horário diferenciado são as mais difíceis de preencher. Em horários alternativos, como à noite, sobram oportunidades. Hoje, procuram-se 11 garçons  na cidade.
 
O baixo salário também tem mantido muitos afastados. Para a empregada doméstica, por exemplo, a remuneração teve que subir para atrair mais candidatas. Contudo, dez vagas ainda estão disponíveis. Em relação a 2009, o Sine empregou 66% a mais. 
Ontem, quando a equipe do Notisul esteve no Sine, apenas uma pessoa aguardava para cadastrar o currículo.
 
Áreas que mais buscam trabalhadores
Algumas vagas, principalmente na construção civil, são difíceis de serem preenchidas. “Tem pedreiro que ganha mais que engenheiro”, compara o responsável pelo Sistema Nacional de Empregos (Sine) na cidade, Mário César de Carvalho. Para serventes, em Tubarão, existem oito vagas em aberto. Pessoas de fora da região são contratadas para trabalhar na área. 
Outros municípios como Braço do Norte também encontram dificuldades na contratação. Isso inclui os ramos de comércio e hotelaria. Preencher as vagas abertas para recepcionista é bastante complicado. 
 
Vagas em Santa Catarina
Em todo o estado, aproximadamente cinco mil vagas de emprego estão em aberto no Sistema Nacional de Empregos (Sine). A maioria das vagas, devido à sazonalidade do verão, está nos setores de comércio e serviços, mas também há muitas na construção civil. 
Neste mês, houve um aumento de 30% na demanda de vagas oferecidas na Grande Florianópolis, em relação ao mesmo período do ano passado. Nas outras partes do estado, este aumento foi de 10%.
 
Cadastre o seu currículo
Para cadastrar o seu currículo, visite o Sine, na rua Coronel Cabral, nº 203, próximo ao Correio Central. Você precisa levar a sua carteira de trabalho, CPF e identidade.