O decreto de situação de emergência em Tubarão por conta dos danos e estragos causados pelas fortes chuvas da última sexta-feira, será assinado pelo prefeito Joares Ponticelli. A decisão foi tomada durante uma reunião de avaliação entre secretários e a Defesa Civil municipal e estadual.

Um levantamento mais detalhado sobre os estragos e as situações de risco foi iniciado nas primeiras horas de sábado, mas o decreto de situação de emergência se justificou basicamente por três circunstâncias: pontes de madeira e estradas do interior danificadas, vias urbanas com diversos estragos e principalmente as duas árvores seringueiras derrubadas na beira-rio e outras próximas em situação de risco.

As seringueiras que caíram por causa da erosão do solo estão localizadas na cabeceira da ponte Heriberto Hülse, na margem direita, e bloquearam o trânsito na noite de sexta-feira. Parte das árvores foi removida no sábado, mas a retirada total depende de um trabalho minucioso especializado e caro que precisa do aval de órgãos ambientais. As árvores representam um grande risco, pois em caso de queda no rio podem ser arrastadas pela correnteza e se chocarem contra os pilares das pontes Dilney Chaves Cabral e Orlando Francalacci.

Outras situações são monitoradas pela Defesa Civil. Ontem havia ruas alagadas no bairro Campestre, onde algumas famílias precisaram se alojar em casas de parentes, mas sem solicitar apoio oficial da Defesa Civil. Também havia algumas famílias isoladas por causa dos danos em pontes e madeira em parte das localidades de Sertão dos Corrêa, São Luiz, Sertão dos Mendes e Areado.