Tubarão

Os trabalhos de implantação do Sistema de Coleta e Tratamento de Esgoto em Tubarão foi tema do encontro entre a Tubarão Saneamento, imprensa e representantes da prefeitura do município. A reunião teve o intuito de detalhar as etapas e o passo a passo dos serviços realizados pela Concessionária.

 De acordo com representantes da Tubarão Saneamento, transtornos no trânsito, mesmo com todo o planejamento da empresa tem sido inevitável, uma vez que as vias deverão receber a nova canalização. A direção pontua que todos os esforços são empreendidos para que as ruas sejam fechadas de forma gradativa, porém  nem sempre isso é possível. Desta forma, é importante que os motoristas fiquem atentos às áreas em obra, evitando o trânsito no local e adotando rotas alternativas.

Conforme o engenheiro da Tubarão Saneamento, Leonardo Figueiredo, depois do preenchimento parcial da vala com areia é feito o adensamento hidráulico. Sobre a areia, até a cota final do pavimento, é colocada brita graduada para posterior repavimentação da área escavada. O tempo entre o reaterro da vala e a repavimentação é de pelo menos dez dias. Desta maneira, minimizam-se os problemas de recalque do pavimento após a liberação do tráfego na pista.

Sobre o assentamento da tubulação de esgoto, o profissional destaca, que é necessário a abertura de valas com profundidade e inclinação do fundo, detalhados em projeto (critérios importantes visto que o esgoto vai até a estação elevatória por gravidade). Os tubos são assentados sobre ‘colchões’ de areia e posteriormente envoltos pelo mesmo tipo de material. Essa areia deve ser isenta de impurezas para que não haja risco de causar danos à tubulação.
 

Cerca de 5 mil famílias terão um prazo para fazer a ligação na rede para o tratamento

O Engenheiro pontua que apesar de a tubulação da rede coletora ser aparentemente fina (150mm em sua maior parte), é suficiente para coletar e conduzir o esgoto até o coletor tronco. Estranha-se quando comparada a rede de drenagem, que geralmente possui grandes diâmetros. Essa diferença deve-se ao fato que de a tubulação de drenagem recebe grandes volumes de água num curto período de tempo, situação que não ocorre com o esgoto doméstico.

Segundo o diretor da Concessionária,  Paulo Eduardo Canallis, a tarifa de esgoto será cobrada após  a conclusão da primeira etapa dos serviços. “A nossa tarifa de esgoto será uma das mais baratas do Estado. Haverá um prazo para que os moradores façam a ligação na rede para tratamento e também para a cobrança do serviço pela Concessionária. É necessário fazer, pois incorre a crime ambiental”, explica.

Segundo a direção da Concessionária, as intervenções nas vias do centro da cidade e arredores ainda devem durar mais dois ou três meses, contudo diante do volume de interferências e variações do tempo, este prazo pode sofrer alterações. Com a conclusão da primeira etapa, que contempla uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), estações elevatórias de esgoto e aproximadamente 30 mil metros de rede, prevista para maio deste ano, cerca de cinco mil famílias serão beneficiadas nos bairros Centro, Vila Moema e Recife. A Concessionária investirá cerca de R$ 58 milhões, nesta etapa.

Outras informações

Os usuários e a população que transita pelo município podem acessar as informações das frentes de serviço por meio do site www.tubaraosaneamento.com.br/obras. Lá é possível visualizar quais ruas estão com trabalhos em tempo real, a porcentagem de execução e o prazo de finalização. Além disso, o aplicativo Waze também está alinhada para melhor atender a mobilidade da população. Mais informações pelos telefones: 0800 648 9596 e (48) 3052-7400, no WhatsApp (48) 99168-5827.