#Pracegover Foto: na imagem há um homem de óculos, uma mesa e cadeira
#Pracegover Foto: na imagem há um homem de óculos, uma mesa e cadeira

A pandemia da Covid-19 tem sobrecarregado os sistemas de saúde, principalmente com insumos e profissionais dentro de clínicas e hospitais. Diante desse cenário, por vezes fatal, não deve ser esquecido que as doenças cardiovasculares ainda são a principal causa de óbitos no mundo e negligenciar essa situação contribui para ocorrer ainda mais mortes.

“Outra informação muito importante é a relação entre o coronavírus e infarto e/ou miocardite, inflamação do músculo cardíaco causado pelo vírus. Até 30% dos pacientes graves que necessitam de intubação, podem ter miocardite pela Covid-19. E pelo efeito trombogênico do vírus, o infarto se torna outra complicação temida pelos profissionais”, destaca o cardiologista do Complexo Médico Provida, em Tubarão, Dr. Ricardo da Silva Pereira (CRM: 16542 / RQE: 15015).

Conforme o médico, a nível ambulatorial, no Brasil, é visível o aumento na procura de cardiologistas, devida a ocorrência de sintomas persistentes, como cansaço, fadiga e queixas como dor torácica, no qual tem se mostrado comuns pós-Covid.

“Na maioria das vezes, as sequelas do coronavírus não são permanentes. Grande parte dos contaminados se recuperam totalmente após algumas semanas. Porém, em alguns pacientes, principalmente aqueles que precisaram de ventilação mecânica, podem persistir com os sintomas e sequelas por um período maior ou ate de forma, numa minoria, permanente”, relata o cardiologista.

Outra informação relevante para os médicos, é o aumento de casos de ansiedade e depressão em relação ao período atual. Muitas vezes esses sintomas acabam sendo confundidos com doenças cardiológicas.

“A pessoa na dúvida, deve procurar seu cardiologista para uma consulta sempre que houver estes sintomas e/ou dúvidas relacionadas sua saúde. Fazer uma investigação correta, tratamento adequado e reabilitação cardiovascular quando indicada. É esse o caminho para melhorar os sintomas e ter mais qualidade. Lembrando que quando for sua vez, vacine-se”, orienta Dr. Ricardo.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul