Tatiana Dornelles
Jaguaruna

Com a alta temporada, são inúmeros os turistas de outras cidades e até mesmo estados no litoral de Santa Catarina. E isso não é diferente na região sul. O fluxo de veículos aumenta consideravelmente, principalmente, nas cidades com praias, formando, em muitos lugares, filas enormes. Por isso, leitores questionaram a ‘utilidade’ do semáforo do centro de Jaguaruna, uma vez que no verão de 2007, filas de carros se formavam na estrada à espera do sinal verde.

Somente no ano passado, mais de 100 veículos ficaram um bom tempo parados no local. O medo, de algumas pessoas, era de que isso ocorresse também neste verão. “Ano passado, mais de 100 carros ficaram parados no semáforo porque não havia feito a intermitência, principalmente nos fins de semana, em que o fluxo é maior”, explica o prefeito de Jaguaruna, Marcos Tibúrcio.

Segundo ele, este ano, o problema não tem ocorrido, uma vez que nos dias de maior movimento na cidade o semáforo fica somente na intermitência, para desafogar o trânsito.

“O máximo de carros na fila foi 20. Foi o pico registrado. Entretanto, há apenas um problema de sincronia com a ferrovia, pois ambos (semáforo e trem) param ao mesmo tempo. Mas este caso está sendo resolvido pela prefeitura e a rede ferroviária”, explica Tibúrcio.

O prefeito ainda ressalta que, antes de serem instalados os semáforos, o número de acidentes no local era imenso, principalmente na curva para a estrada que leva ao balneário Camacho. “Ocorriam muitos acidentes. Agora, não ocorrem mais. Com o semáforo, houve uma queda no número de batidas, praticamente zerou. Além disso, geralmente envolviam motociclistas. A sinaleira é garantia de segurança no trânsito da cidade”, diz.

Tibúrcio ainda acrescenta: “Quem reclama de ter que parar no semáforo, tem que reclamar também das sinaleiras de Tubarão, Florianópolis, Criciúma, enfim, de várias cidades que contam com o sistema”.