Parte da equipe do Núcleo de Apoio à Vida Cidade Azul (Navica), entidade mantenedora do CVV Tubarão, em recente evento. Essas pessoas estão prontas para ouvir e proferir palavras de apoio e carinho. Parabéns! Foto: Navica/Divulgação/Notisul
Parte da equipe do Núcleo de Apoio à Vida Cidade Azul (Navica), entidade mantenedora do CVV Tubarão, em recente evento. Essas pessoas estão prontas para ouvir e proferir palavras de apoio e carinho. Parabéns! Foto: Navica/Divulgação/Notisul

Rafael Andrade

Tubarão

As unidades dos Centros de Valorização da Vida (CVV) de Tubarão, de Braço do Norte e centenas de outras espalhadas pelo Brasil, compostas 100% por voluntários – de diversas profissões -, prepararam uma série de atividades alusivas ao Setembro Amarelo – campanha mundial de prevenção à depressão e, principalmente, ao suicídio.

No decorrer desta semana, ocorrem alguns encontros na Unisul, na Cidade Azul. Histórias reais já são relatadas, desde ontem, nas redes sociais, por famílias que perderam pais, filhos, irmãos, tios, avós, vítimas da confusão psicológica que se encontravam e decidiram parar de lutar, muitos se mantiveram em silêncio, não chegaram a pedir apoio, a proferir uma manifestação de socorro, a suplicar um abraço, ou, simplesmente, perguntar o motivo de estar assim, sem vontade de executar as tarefas simples do dia a dia, como se alimentar e tomar banho, por exemplo. A solidão parecia ser o único caminho, a falta de ambição, de desejos, de viver… 

Por isso, a indicação dos voluntários do CVV, e de profissionais da psicologia é sempre estar de olho em qualquer tipo de mudança de comportamento dessas pessoas que podem ter a tendência de apresentar sinais de depressão, que muitos dizem ser a doença deste século 21, portanto, neste novo mês, há uma nova oportunidade de recomeçar! Precisando, ligue 188. Sempre há alguém disposto a ouvir e preparado para um momento de dificuldades, independente da hora, 15h ou 3h, há alguém disposto a lhe ‘abraçar’. É bom frisar que os atendimentos do CVV ocorrem por telefone e a pessoa que liga é responsável por encontrar suas próprias respostas.

Se uma pessoa for salva, todo o trabalho já valeu a pena. O primeiro ato neste mês será uma conversa sobre o papel da imprensa quando o assunto é suicídio. O evento ocorre nesta quarta-feira, às 19h30, no Auditório do Cettal, no bairro Dehon, na Unisul – campus Tubarão.  

Criado em 2015, o Setembro Amarelo tem como objetivo a conscientização para prevenção do suicídio. Em seu quinto ano, a campanha tem crescido devido ao aumento desenfreado de casos de transtornos mentais, como a depressão, muitas vezes responsáveis por criar nas pessoas o desejo de tirar a própria vida.