Foto: Reprodução YouTube

O presidente da Fundação Municipal de Saúde de Tubarão, Daisson Trevisol, confirma que a cidade continuará mantendo em funcionamento os serviços não essenciais durante a quarentena.

A confirmação veio após uma declaração da secretária Municipal de Saúde de Capivari de Baixo, Adriana Rufino, comentar em um áudio que Tubarão e região poderiam voltar ao isolamento total nos próximos dias devido ao aumento significativo de casos confirmados de Covid-19.

Daisson diz que a prefeitura acompanha com preocupação o aumento dos casos, mas que em nenhum momento foi cogitada a possibilidade de fechamento desses segmentos.

“Nossa preocupação com a saúde das pessoas é muito grande, mas não é só isso, precisamos cuidar também da economia da nossa cidade”.

Na quinta-feira (18), a prefeitura de Tubarão se reuniu com autoridades e decidiu que nesta semana o município vai restringir o horário de funcionamento de bares e exigir máscaras nas ruas para evitar aumento da pandemia.

 

Ocupação de leitos

Adriana também diz que as autoridades estão preocupadas com a ocupação de leitos de UTI nos hospitais de Tubarão, que atendem cidades da Amurel. “Estamos com 50% ocupados (enfermaria), e pode ser decidido fechar tudo novamente. Dos 295 municípios do Estado os leitos de UTI que não eram ocupados há um mês hoje é preocupação”, explica no áudio.

Daisson confirma que o aumento nas ocupações de leitos nos dois hospitais de Tubarão é sim uma preocupação, mas nem todos os pacientes internados estão com Covid-19. No boletim emitido pela prefeitura na sexta-feira havia 20 pacientes internados para tratamento da doença, 9 em UTI e 11 em enfermaria. A prefeitura não informa a quantidade de pacientes em cada hospital.

Sobre o áudio da secretária

Adriana teve um áudio vazado nas redes sociais neste sábado, falando sobre a situação do Covid-19 em Capivari de Baixo e região. Ela faz um alerta para a preocupação com ocupação de leitos nos hospitais de Tubarão, aumento no número de casos confirmados  em SC, falta de medicamento para entubação de pacientes em UTI e o fechamento de serviços não essenciais.

De acordo com a secretária, o áudio foi encaminhado a um grupo privado e a informação vazou. Mais tarde Adriana emitiu uma nota à imprensa reconhecendo que houve excesso de informação ao firmar que os serviços não essenciais podem fechar novamente.