Wagner da Silva
Braço do Norte

A quantidade de golpes aplicados no comércio, através de documentos extraviados ou clonados, é tanta que fica impossível listar. A melhor dica, garante o diretor do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) de Braço do Norte, Dílson Pedro Walter Tramontin, é investir na prevenção, tanto dos lojistas quanto dos próprios clientes.

“Muitas pessoas não tomam certas precauções e acabam lesadas”, confere Tramontin.
Para evitar o ‘calote’, o SPC oferece, em todo o país, um serviço que ‘alerta’ os comerciantes nos casos de extravio ou clonagem de documentos. Ainda assim, adverte o diretor do órgão, é necessário tomar cuidado, especialmente aqueles que já perderam documentos.

Neste caso, o melhor a fazer é procurar imediatamente a polícia e registrar um boletim de ocorrência. Ter o maior número de informações sobre os documentos é importante para que o BO fique completo e, no futuro, seja uma ‘arma’ para coibir crimes. Uma dica é possuir, em local seguro, uma cópia de todos os documentos pessoais.

Assinar cheques e cartões, bem como emprestá-los a terceiros, significa o mesmo que abrir a porta para o azar. “Muitas pessoas mal intencionadas aproveitam este descuido para compras, abrir financiamentos, ou mesmo utilizar os caixas eletrônicos para fazer retiradas”, alerta Tramontin.

Os comerciantes também precisam estar precavidos. As fichas dos clientes devem conter o maior número de informações possíveis. Outra medida de segurança neste sentido é solicitar a assinatura do cliente e conferi-la com a que está no documento de identidade.

Além disso, para quem é associado às Câmaras de Dirigente Lojistas (CDLs), o uso do SPC deve tornar-se uma regra habitual. “No comércio, geralmente, o único lesado é o proprietário do estabelecimento. Utilizar a consulta é importante, pois evita prejuízos e dores de cabeça no futuro”, orienta Tramontin.

Segundo o diretor do CDL, Clayton Della Giustina Coan, várias pessoas da região já tiveram os seus documento utilizados por quadrilhas ou pessoas mal intencionadas. “Uma atitude simples pode evitar grandes problemas”, reforça o presidente.