O projeto de lei que garante aos pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde) com suspeita de câncer o direito a biópsia no prazo máximo de 30 dias, contados a partir do pedido médico, deve será votado nesta semana pelo plenário do Senado. 

A autora do projeto que, se aprovado e efetivado, pode salvar muitas vidas, é a deputada federal catarinense Carmen Zanotto (Cidadania-SC). E complementa a lei de 2012 que já estipula o início do tratamento pelo SUS em no máximo 60 dias a partir do diagnóstico do câncer, também de autoria da parlamentar. 

“A aprovação deste projeto avança na luta dos milhares de pacientes que aguardam nas filas do SUS para garantir que os exames que confirmem o diagnóstico desta doença terrível sejam realizados o mais rapidamente possível”, afirmou a deputada, que preside a Frente Parlamentar Mista da Saúde no Congresso Nacional e a Subcomissão Permanente da Saúde.

A preocupação da deputada catarinense não é à toa. Estimativas do Instituto Nacional de Câncer (INCA) apontam que 300.140 novos casos de câncer foram registrados entre os homens e 282.450 entre as mulheres, somente em 2018. Mesmo ano em que a mortalidade por câncer atingiu 107.470 homens e 90.228 mulheres.