Amanda Menger
Laguna

Mesmo com a proibição do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, a venda de pescado, nas docas, ao lado do Mercado Público, em Laguna, continua. A feira livre é conhecida em toda a região e é realizada há mais de 100 anos. O comércio é feito por aproximadamente dez pescadores, além de outras pessoas, que eventualmente aparecem no local.

O Ministério Público entrou com uma ação civil pública devido às condições de manuseio do pescado. Há mais de 15 dias, uma liminar proibiu a venda. A prefeitura de Laguna recorreu e perdeu. O desembargador Luiz Fernando Boller determinou a manutenção da decisão do juiz Fabiano Antunes da Silva, da primeira instância, até que a ação civil pública seja julgada.

Em caso de descumprimento, a decisão prevê multa diária de até R$ 2 mil, limitado a dez dias (vence no dia 12). Após este prazo, a liminar deve ser cumprida por um oficial de justiça e, se for necessário, poderá requerer reforço policial.
“A venda de peixes continua. Sabemos que as condições de higiene não são as melhores. Aliás, no dia 31 de março, nós enviamos um ofício ao prefeito Célio Antônio (PT) para que ele coloque em prática um projeto que ele tinha quando estava na secretaria especial de aquicultura e pesca. A proposta era que os pescadores tivessem um carrinho com vidro, gelo e balança, além de um caminhão frigorífico para atender os comerciantes. Isso resolveria o problema dos pescadores e da saúde pública”, sugere o presidente do Sindicato da Pesca (Sindpesca) na Amurel, Gilberto Fernandes.

Rede hoteleira espera 80% de ocupação

O feriado prolongado de Páscoa deve atrair muitos turistas para a região sul. A rede hoteleira de Laguna estima uma ocupação de 70% a 80% das vagas. A expectativa é semelhante à Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina, que espera uma ocupação média de 75%.

“Há diversos fatores que favorecem este resultado. Um deles é a realização do Circuito Catarinense de Surfe Amador. Há também uma feira de artesanato na praia do Mar Grosso. As crianças também terão um evento, o Recriar. E a previsão do tempo é de muito sol e calor. Então, as pessoas ficam empolgadas para aproveitar o feriado”, observa o presidente da Associação dos hotéis, bares, restaurantes e similares de Laguna, Peterson Crippa.

Segundo Crippa, a reserva de vagas começou há cerca de 20 dias. Outro atrativo é o valor das diárias. “As pessoas começam a chegar amanhã (hoje) e ficam até domingo. A maior parte dos hotéis está cobrando o preço da baixa temporada, que é mais acessível para os clientes, até porque estamos em um período que as pessoas primam pela economia”, avalia Crippa.

A baixa temporada que segue até dezembro não será tão ruim para o setor turístico. “Este é um ano com vários feriados prolongados, então, isso dá um reforço significativo no caixa, ainda mais se pensarmos que na baixa temporada praticamente não há movimento”, comemora Crippa.

Encenação do Lavapés leva uma
multidão à Catedral de Tubarão

Uma das passagens bíblicas mais emocionantes, o lavapés, foi encenada ontem pelo bispo Dom Jacinto Bergmann, na Catedral de Tubarão, quando ocorreu a missa da Ceia do Senhor. Uma multidão de fiéis acompanhou a celebração eucarística. O rito do lavapés encena o momento em que Jesus se colocou a serviço dos apóstolos para dar exemplo de humildade. Durante esse gesto, todos são chamados a seguir essa atitude e praticar atos de perdão, partilha e ajuda ao próximo.

Após a missa, iniciou a adoração ao Santíssimo Sacramento, na Cripta da Catedral. O local ficará aberto até 11 horas de hoje para orações de grupos e individuais. Nesta Sexta-feira Santa, um dos dias mais importantes para o catolicismo, é relembrado o motivo da crucificação de Cristo na procissão do Senhor Morto, às 19h30min.

Trajeto da procissão
Inicia na rua 15 de Novembro. Passa por Conselheiro Mafra, Vidal Ramos, Lauro Müeller, Coronel Collaço e volta à praça da Catedral.