Em Imbituba, uma família recebeu o prazo de 15 dias para botar o aluguel em dia, senão o proprietário vai pedir para que se retirem. A situação tem tirado o sono do casal Jozéli Rodrigues Vieira e Clóvis Eduardo Ferreira, que ficou desempregado por conta da crise do Covid-19 e agora não consegue pagar o aluguel há 4 meses.

O casal mora no bairro Nova Campestre com a filha de 9 anos e agora pede ajuda para arrecadar dinheiro. Eles receberam o aviso na semana passada e agora têm até a semana que vem para resolver.

De acordo com Jozéli, ela e o marido perderam toda a renda logo no começo do isolamento social, de lá para cá fazem o impossível para tentar pagar o aluguel, mas não conseguem renda.

Jozéli trabalhava em uma empresa na área do turismo e o marido atuava em uma lavação de veículos em um posto de gasolina. A empresa que Jozéli trabalhava antecipou o fim da alta temporada e demitiu quase todos os funcionários, e a lavação de carros onde Clóvis conseguia renda fechou.

“Fomos demitidos no começo do mês março, achávamos que até o fim do mês conseguiríamos dinheiro vendendo balas, mas as pessoas não compravam e acabavam dando comida. E o aluguel foi ficando para trás”, disse Jozéli.

 

4 meses de aluguel atrasado

Jozéli diz que o proprietário da casa onde mora é muito paciente com a família, mas entende que ele também precisa ter renda. O casal pagava R$ 600 de aluguel por mês e se for despejado não tem para onde ir. A  família deles está toda no Rio Grande do Sul.

Além de não conseguir trabalho, o casal teve o auxílio emergencial negado. Jozéli tem formação em massagem estética e procura clientes, mas não tem como atender em casa. Até se colocou à disposição para atender em domicílio, e o marido tenta trabalho em obras ou voltar a lavar carros, sua atuação preferida de acordo com Jozéli.

“O dono da casa já veio duas vezes falar conosco sobre o valor que devemos. Ele é paciente mas quer seu dinheiro ou vai nos despejar. Não somos preguiçosos, acomodados ou qualquer coisa do tipo. Peço a todos qualquer valor que de coração, nos ajudem a juntar o dinheiro pro nosso aluguel. Estamos desesperados”.

Quem tiver interesse em ajudar o casal pode entrar em contato com Jozéli pelo telefone 48-99835.7105.