A responsável pelo programa de combate à Influenza A da 20ª gerência regional de saúde em Tubarão, Marlene de Sousa Gonçalves, alerta para os cuidados de não deixar que o vírus prolifere-se
A responsável pelo programa de combate à Influenza A da 20ª gerência regional de saúde em Tubarão, Marlene de Sousa Gonçalves, alerta para os cuidados de não deixar que o vírus prolifere-se

 

Angelica Brunatto
Tubarão
 
A Gripe A está de volta. E todo o cuidado é pouco. Os casos suspeitos a cada dia aumentam em Santa Catarina. Em Tubarão, somente na última semana, seis pessoas deram entradas nos hospitais da cidade com suspeita da doença.
 
Duas delas foram a óbito. O primeiro caso ocorreu no último domingo, em um homem de 30 anos. E o mais recente foi nesta quinta-feira. Uma menina de 5 anos faleceu no Hospital Nossa Senhora da Conceição. Ela era moradora de
 
Sombrio, foi encaminhada ao Hospital São José de Criciúma, e depois transferida para a Cidade Azul.
 
Os exames da criança foram encaminhados ao Lacen de Florianópolis, que descartou o caso como Gripe A. A 20ª gerência regional de saúde em Tubarão foi comunicada do óbito. Em todos o casos suspeitos, o procedimento é o mesmo: colher a secreção do paciente e encaminhar para Florianópolis. O prazo para a resposta é de dois dias. Mas, com toda esta demanda do estado, às vezes demoram um pouco mais.
 
Com tantos casos suspeitos, muitas pessoas podem se assustar. A responsável pelo programa de combate à Influenza A na regional de saúde, Marlene de Sousa Gonçalves, garante: a situação está sob controle. “Mas não se pode esquecer da higienização para que a doença não se prolifere. Temos que estar sempre com o álcool em gel, lavar bem as mãos e mantermos os ambientes bem arejados”, orienta.
 
Os primeiros sintomas da Gripe A normalmente são tosse, febre e falta de ar. “Ao se sentir assim, o paciente deve se dirigir ao posto de saúde, para iniciar logo o tratamento, se necessário”, ensina Marlene. 
 
Casos confirmados em Tubarão
Desde o início do ano, na Cidade Azul, cinco casos foram confirmados em Tubarão. No início do ano, quatro pessoas de uma família contraíram o vírus durante uma viagem de cruzeiro. No fim de março, uma gestante deu entrada no hospital com os sintomas. Todos receberam tratamento e passam bem.