#Pracegover Foto: na imagem há dois homens, um celular, um microfone e um isqueiro
#Pracegover Foto: na imagem há dois homens, um celular, um microfone e um isqueiro

A Secretaria de Estado da Educação (SED) adquiriu inúmeras máscaras para o uso de profissionais da rede estadual de ensino. A SED abriu processo para aquisição de até 21.163.100 máscaras. Conforme a secretaria, os produtos foram submetidos a testes de segurança confiáveis e apresentaram eficiência de filtração bacteriana (BFE) de 95,35%.

No entanto, não é bem isso que afirma o deputado Kennedy Nunes (PSD), após realizar testes com uma máscara de uso para servidores da rede estadual de ensino. “A deputada Luciane Carminatti (PT) levou essa demanda para a Alesc. Anteriormente vi um vídeo de um teste de uma infectologista com as máscaras. Ela realiza a testagem com uma máscara soprando em uma vela. O teste deve ser feito com o fogo e o vento e não com água. O vírus não são quando cuspimos, mas quando falamos. Fazer o teste com água só se for para mergulho. Utilizei a máscara que a deputada Luciane tinha em mãos adquirida pelo Estado e o isqueiro que o deputado Lima possuía e fiz o teste com a máscara que comprei na farmácia e a fornecida pela Educação”, explica.

Segundo o parlamentar, a máscara adquirida em farmácia não teve movimento algum na chama e a máscara comprada pelo Estado chega a apagar o isqueiro. “Mediante a esse fato não há palavras. A máscara é imprópria”, assegura o legislador.

Ao abrir o processo licitatório, a SED pontuou que especificou a necessidade de aquisição de máscaras descartáveis sem viseira, com no mínimo três camadas, clipe nasal, BFE acima de 95%, hipoalergênicas, inodoras e que não causassem prejuízo à respiração natural dos usuários. Além disso, também foi exigido que a fornecedora das máscaras submetesse os produtos a um teste de laboratório antes da finalização da compra.

A empresa Rama Comércio e Importação de Produtos Personalizados Ltda., com sede em  Palhoça, foi a vencedora da licitação. As máscaras adquiridas são produzidas pela fabricante ARS Brasil Ind. Com. Dist. Roupas Brinde Ltda. (ART Cor Brasil), com sede no município de Poá-SP.

No catálogo apresentado à SED pela fornecedora, a fabricante garante que as máscaras que posteriormente foram adquiridas apresentam gramatura de 45 g/m² e são confeccionadas pelo tri-tecido laminado SMS, ou seja, possuem três camadas compactadas. As camadas externas (Spunbound) são resistentes à penetração de microorganismos e bactérias, enquanto a camada interna (Meltblown) retém micróbios e bactérias menores.

De acordo com a SED, ao término do processo de concorrência, a fornecedora solicitou teste de eficiência ao laboratório Controlbio Assessoria Técnica Microbiológica S/S Ltda., com sede no município de São Paulo, no Estado de São Paulo. Em laudo assinado pela Diretoria Técnica e pela Gerência do Laboratório, foi atestado que as máscaras apresentam 95,35% de eficiência de filtração bacteriana. A veracidade do laudo foi confirmada pela SED em contato direto com o laboratório.

“A SED reforça que preza pela segurança e saúde de todos os profissionais da secretaria e pela qualidade de todos os materiais adquiridos. A rede estadual de ensino segue ofertando aulas presenciais desde o dia 18 de fevereiro, sem nenhuma paralisação, e monitora diariamente os casos de Covid-19 entre os profissionais das escolas e os estudantes. As medidas técnicas que devem ser adotadas diante de casos suspeitos e/ou confirmados da doença podem ser acessadas no link: http://bit.ly/Nota-Informativa-002-2021”, expõe a SED em nota.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul