#Pracegover foto: na imagem há vários caminhões
#Pracegover foto: na imagem há vários caminhões

Caminhões parados no acostamento das rodovias e nos pátios de postos de combustível. Essas cenas se multiplicam por Santa Catarina. De Norte a Sul e de Leste a Oeste, a paralisação dos caminhoneiros, que começou na terça-feira (7) continua em todo o Estado. E a adesão tem provocado grandes concentrações. Só em Joinville , no KM 25 da BR-101, há uma estimativa de 200 a 300 caminhões parados.

E é justamente no Norte de Santa Catarina que começaram os problemas de desabastecimento de combustível. A base de armazenamento e distribuição, em Guaramirim, está bloqueada desde a manhã desta quarta-feira (8). De acordo com o Sindipetro (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Santa Catarina), alguns caminhões conseguiram entrar e abastecer, no entanto, foram impedidos de deixar a base para levar o combustível aos postos.

A própria base confirmou que apenas 14 caminhões conseguiram abastecer e a média, de acordo com eles, é de 60 a 70 caminhões que carregam em volta de feriados. Além disso, já há postos de combustíveis com estoques de gasolina zerados em Joinville, Schroeder e Rio Negrinho.

De acordo com a gerente do Sindipetro, Pamela Alessandra Bento, os postos podem sim registrar problema de abastecimento. Ela explica que normalmente os postos recebem os caminhões diariamente e, sem o reabastecimento nesta quarta-feira, eles já terão que trabalhar com o estoque e, caso o problema de distribuição continue, Joinville e região podem ficar sem combustível.

No entanto, de acordo com os sindicatos do Estado, até o momento, só a região Norte registrou problemas. Em Itajaí, o Sincombustíveis afirma que, neste momento, não há nenhum problema na região.

“Neste momento, nenhum revendedor reclamou absolutamente nada. Não sei como vai ficar no decorrer do dia, da semana. Como não tem nada de oficial, não temos como nos manifestar, mas quando e se tivermos anormalidade, podemos falar. O que pode acontecer não dá para falar, neste momento, na região de Itajaí está normal. Como vai ficar depois, é outro assunto”, afirma César Ferreira Junior, secretário executivo do sindicato.

No Oeste, a situação é semelhante. De acordo com o Sitercomoc (Sindicado dos Trabalhadores nas Empresas Revendedoras de Combustíveis e Derivados de Petróleo), não há nenhuma informação concreta de desabastecimento e, até o momento, o abastecimento está normalizado.

O Sindópolis (Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis Minerais de Florianópolis) afirma que, por enquanto, não há nenhum problema e que, na região, os caminhões saíram normalmente dos terminais.

O Setcesc (Sindicato das Empresas de Transporte de Carga e Logística no Estado de SC) afirma que está monitorando os pontos de bloqueio, mas que “é muito cedo para dizer qualquer coisa nesse sentido de problema de abastecimento”.

O gerente administrativo do sindicato afirma que trabalha com o cenário mais pessimista de liberação no fim de semana, mas que não acredita em problema de abastecimento no Estado. “Eu acho difícil que haja problema de abastecimento porque a pauta não é a penalização da população”, finaliza.

 

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: NDMais