Amandio João da Silva Júnior, não é mais secretário da Casa Civil de Santa Catarina. Ele deixou a função nesta sexta-feira após ser publicado no Diário Oficial do Estado (DOE), a sua exoneração. O ex-secretário ficou no cargo por 47 dias.

Silva Júnior assumiu a função em maio e é mais um a deixar a função no Governo Carlos Moisés por causa das investigações da Operação Oxigênio deflagrada no mês passado. A ação apura irregularidades na compra de 200 respiradores realizadas pelo Governo do Estado no valor de R$ 33 milhões.

Por meio de nota à imprensa a exoneração do ex-chefe da Casa Civil foi confirmada pelo Governo. “Comunicamos a exoneração do Chefe da Casa Civil, Amandio João da Silva Junior. Com isso, o ex-secretário pode melhor prestar seus esclarecimentos pessoais perante as autoridades constituídas em relação aos fatos relacionados à sua atividade profissional desenvolvida na iniciativa privada. Agradecemos o trabalho e o empenho durante o período em que esteve à frente da Casa Civil”, afirma o texto assinado por Moisés.

No lugar de Amandio assume Juliano Batalha Chiodelli, que era subchefe da Casa Civil e antes ocupava o cargo de presidente da Junta Comercial de Santa Catarina. Também foi exonerado o assessor especial da Casa Civil, Sandro Yuri Pinheiro.

Em nota publicada nas redes sociais após a exoneração, Amandio João da Silva Junior disse que decidiu pedir exoneração por apelo da família e que o ato não tem relação com a convocação dele para prestar esclarecimentos na CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) dos Respiradores. “Entendem que não devo seguir por uma estrada de tanta exposição e que tenta a todo tempo macular reputações. Não fujo de meus compromissos e não temo nada, pois sempre agi com lisura antes, durante e depois da passagem pelo Estado”, afirma ele.