Tubarão

No fim de 2018, ele passou por uma cirurgia cardíaca. Hoje, Adirson Soares (foto ao lado), médico anestesiologista que não só faz parte da equipe do Hospital Socimed, em Tubarão, mas também é um dos fundadores da instituição, lembra como foi o processo e a comodidade de ter, na Cidade Azul, uma estrutura para atender a sua necessidade.

“Tinha acabado de almoçar, quando senti uma tontura. Como ela não passava, fui para o Socimed, para constatar se havia algum problema. Estava passando por um quadro de Isquemia cerebral transitória”. Isso aconteceu em agosto de 2017, e até aí tudo bem. Este evento, no entanto, levou a outros exames que constataram uma anomalia congênita na válvula aórtica.
 
Feito o diagnóstico, viria a seguir a indicação cirúrgica de troca da retirada da válvula aórtica e a substituição por uma prótese biológica. Também foi diagnosticada uma comunicação entre os átrios direito e esquerdo, que poderia ser corrigido no mesmo ato cirúrgico.

Parece simples quando se trata de um médico. Mas nesta hora, entra em cena o paciente, ainda que ele tenha uma vasta bagagem e conhecimento sobre tudo o que está acontecendo. Surgiu então a necessidade de decidir: ir a um centro maior e realizar o procedimento lá, ou fazer uso de toda a estrutura localizada aqui mesmo, no interior do Estado. Os anos de experiência e a confiança no hospital que ele ajudou a fundar não lhe trouxeram dúvidas: Adirson decidiu fazer aqui mesmo seu procedimento, uma cirurgia cardíaca convencional, com necessidade de circulação extracorpórea, o que significa desviar o fluxo sanguíneo para poder parar e abrir o coração e assim, realizar o procedimento.

“Não tive dúvidas. Sempre tive muita segurança na estrutura que temos aqui no Socimed. Era hora de efetivamente desfrutar de tudo o que trabalhamos tanto para construir”, lembra o médico.

Para o procedimento, ele contou com profissionais de diferentes áreas: como cirurgião Ricardo Choma, como anestesiologistas, médicos da Narcoclínica (da qual Adirson também faz parte), a equipe da UTI, liderada por. Eduardo Godinho, e com a assistência clínica cardiológica dos profissionais da Multimed, além de poder contar ainda com os profissionais da área de fisioterapia, psicologia e enfermagem, que compõe todo o quadro estrutural da equipe da cirurgia cardíaca do Socimed.

Mesmo diante da complexidade característica das cirurgias de coração, o resultado foi um sucesso e, depois de alguns dias na UTI, ele voltou para casa para se recuperar junto à família.

Sorridente e bem-humorado como sempre, Soares reforça saber da importância de se ter um hospital estruturado por perto. “Em outras épocas, havia a necessidade de recorrer a outras unidades, quer fosse como paciente, quer fosse para acompanhar um familiar. Saber que você está perto de casa, na sua cidade e perto de quem convive com você, e ainda assim pode confiar na estrutura que tem aqui, é sem dúvida algo que contribui até mesmo com a recuperação”, agrega.