O sargento do Gaeco Marcos Antonio Vitto (45), de Criciúma, morreu durante uma operação na manhã desta quinta-feira, em Passo Fundo (RS). De acordo com o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC),Marcos teve uma parada cardiorrespiratória.

Marcos era natural de Turvo, deixa esposa e dois filhos de 1 e 4 anos. O sargento estava na Polícia Militar de Santa Catarina há 22 anos e trabalhou no 4º Batalhão da PM, em Florianópolis, e na Casa Militar do MPSC, na sede da Procuradoria-Geral de Justiça.

O sargento entrou no  Gaeco de Criciúma em 2016, e atuava com as Promotorias de Justiça na repressão ao crime organizado no estado.

O Ministério Público de Santa Catarina emitiu nota lamentando a morte do sargento. “Neste momento tão difícil e de dor, o MPSC presta sua solidariedade aos familiares, amigos e colegas de trabalho”.

O texto também dizia que Marcos tinha um comportamento excepcional dentro da corporação. Recebia elogios por serviços prestados no policiamento ostensivo e homenagens pelos 10 e 20 anos de serviço e por mérito pessoal, por meio de um brasão concedido em 2016.

A Coordenação Administrativa da Comarca de Criciúma estabeleceu luto oficial por 3 dias nas Promotorias de Justiça do município.