A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive-SC) confirmou nesta sexta-feira (24) a morte de um macaco bugio provocada por febre amarela em São Bento do Sul, no Norte catarinense. O animal foi encontrado no dia 10 de dezembro, na localidade de Rio Vermelho. Outras quatro mortes de animais da espécie, ocorridas neste ano, estão em investigação.

A doença não é passada de macacos para os humanos. A febre amarela é transmitida por mosquitos em áreas silvestres e perto de matas, e a única forma de prevenção é por meio da vacinação. Pessoas acima de 9 meses de idade devem se imunizar.

A diretora do Centro de Vigilância Sanitária de São Bento do Sul, Marilene Strapassoni, disse que neste sábado (25) haverá reforço na distribuição de vacina no bairro Rio Vermelho e na unidade de saúde do Centro da cidade.

“Estamos desde setembro do ano passado orientando e conscientizando sobre a importância da vacinação, mas tem pessoas que se recusam a tomar a dose. Tem alguma que assinam termo de recusa para não se vacinar”, disse Marilene.

Conforme a Dive-SC, esta foi a sétima morte de macaco provocada por febre amarela em Santa Catarina somente em 2019. Em relação a casos de óbitos em humanos, foram contabilizadas duas vítimas no ano passado.

Em todo o estado, há mais de 60 mortes de macacos em investigação por suspeita de terem sido causadas por febre amarela.