Bertoldo Weber
S. Rosa de Lima

Mais 51 contratos para reforma e construção de casas novas do Programa FGTS Coletivo (em forma de grupos) foram assinados quarta-feira, em Grão-Pará. Do total, 17 famílias foram beneficiadas através do Sistema Cresol e 34 do Sintraf. Agora, com a assinatura do contrato realizado junto à Caixa Econômica Federal, o próximo passo é iniciar as reformas e construções.

Cada família receberá R$ 6 mil a fundo perdido e R$ 2 mil será de contrapartida do beneficiário. “Tudo depende da renda e condição de moradia. Já nestas liberações são mais de R$ 300 mil”, esclarece o coordenador da base serrana do Sistema Cresol, presidente da Cresol de Santa Rosa de Lima e membro administrativo da Cresol Central, Sebastão Vanderlinde.

Segundo ele, não é só reformar e construir. Existe todo um trabalho social que envolve o embelezamento da propriedade, construção de horta, saneamento básico, entre outros. Além das famílias beneficiadas, participaram da reunião representantes da CEF, presidentes do Sistema Cresol, representantes do Sintraf (Rio Fortuna e Região) e da Cooperaf, responsável pela parte operacional dos projetos.

O deputado estadual Dirceu Drech (PT) marcou presença.
Os benefícios às famílias rurais contribuem diretamente com a auto-estima e a qualidade de vida e são uma luta sindical de mais de 20 anos. Ele afirma que em 2003, no governo de Luiz Inácio Lula da Silva, começou a se olhar mais às famílias rurais. Agora o próximo passo é iniciar as construções e reformas, rigorosamente fiscalizadas.