Wagner da Silva
Sta. Rosa de Lima

Situações consideradas irregulares no setor da saúde pública em Santa Rosa de Lima serão apuradas pela câmara de vereadores do município. A solicitação para a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) foi feita pela bancada de oposição, os vereadores Edson José Vandresen (PMDB), Claudemir Mendes (PMDB), Itamar Heidemann (PSDB) e Leonício Laurindo (PPS), o Zolho. Conforme a denúncia, a prefeitura de Santa Rosa de Lima comprou vários tipos de medicamentos, mas a maioria nunca esteve à disposição da população.

Além disso, os edis analisam a suposta manipulação de medicamentos controlados na unidade sanitária. Isto seria feito sem receita médica e por um profissional não habilitado. Outro ponto no requerimento é a possível entrega de remédios em troca de apoio ou favor político. Eles também citam irregularidade no funcionamento do posto de saúde do programa Estratégia Saúde da Família (ESF) e possível desvio de verba pública.

Apesar de algumas tentativas da mesa diretora, no intuito do requerimento não ser aprovado, o presidente do legislativo, Nivaldo Vandresen (PP), decidiu aceitar a denúncia. “Na próxima terça-feira receberei um parecer da assessoria jurídica da casa e, se tudo estiver dentro da legalidade, a CPI será aberta de fato”, confirma Nivaldo. Ele sugere, inclusive, uma investigação dos últimos dez anos da administração.

Envio de informações poderia
reduzir efeito do problema,
admitem vereadores

Para a maioria dos vereadores de Santa Rosa de Lima, caso a prefeitura tivesse repassado as informações e documentos solicitados pelo legislativo, a situação não teria chego a este ponto. “Somos a voz do povo. E se o povo diz que tem coisa errada, precisamos fiscalizar”, afirma o vereador Leonício Laurindo (PPS), o Zolho. Ele e os outros quatro colegas afirmam que todo o processo é bem conduzido pelo presidente da casa. “E fazemos tudo dentro da legalidade”, diz Zolho.

Presidente diz que CPI deve
investigar os últimos dez
anos da administração

Bertoldo Weber
Sta. Rosa de Lima

O presidente da câmara de vereadores de Santa Rosa de Lima, Nivaldo Vandresen (PP), agora aguarda o parecer da assessoria jurídica da casa para a instauração, ou não, da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde. Ele se diz favorável à investigação. “Se tudo estiver dentro da legalidade, sou completamente favorável à CPI”, reforça. Apesar de não saber se há possibilidade de expandir o período de investigação do caso, isto foi solicitado à assessoria. O presidente do legislativo sugeriu que se analise os últimos dez anos da administração municipal. “Se é para investigar, que se abram as documentações de todas as secretarias”, observa.

Por outro lado, os quatro vereadores que subscreveram o requerimento para a abertura da CPI – Edson José Vandresen (PMDB), Claudemir Mendes (PMDB), Itamar Heidemann (PSDB) e Leonício Laurindo (PPS), o Zolho – ainda que favoráveis à extensão do prazo investigativo, dizem que isto deve ser feito de forma separada, ou seja, através de um segundo requerimento.

O outro lado
A secretária de saúde da prefeitura de Santa Rosa de Lima, Marieta Oenning Bittencourt, afirma que nunca recebeu nada oficial da casa. “No caso de esclarecimentos, nunca recebi um convite verbal ou por escrito para ir até a câmara”.