Mesmo com a prorrogação da campanha e de um mês e meio de imunização contra a gripe, Santa Catarina não atingiu a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde, que é de 90%. No último balanço, o Estado tinha vacinado 83,5% da população-alvo, como idosos, crianças e professores. 

Pelo menos 88,2 mil catarinenses que deveriam estar  vacinados não receberam as doses. Como não alcançaram a meta, os municípios seguem vacinando esses grupos, além de ampliar para crianças de cinco a nove anos e adultos de 50 a 59, enquanto houver doses. A situação mais crítica é com crianças e gestantes. 

Em Santa Catarina, a campanha encerrou no dia 8 de junho. Inicialmente, iria até o dia 1º, mas foi prorrogada em função da greve dos caminhoneiros. No país, o Ministério da Saúde estendeu até o dia 15 e alguns municípios catarinenses também seguem essa data. 

A gerente de Imunização da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) de SC, Vanessa Vieira da Silva, diz que a cobertura de mais de 80% no estado é considerada boa, já que até 2016 essa era a meta, mas reforça que é importante atingir os 90%, o que ela acredita que deve acontecer nos próximos dias.