Florianópolis

Com um total de 32 empresas classificadas, Santa Catarina ficou em primeiro lugar na primeira edição do Selo Nacional de Responsabilidade Social pelo Trabalho no Sistema Prisional (Resgata). A iniciativa foi instituída pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen) para incentivar empresas e instituições que utilizam mão de obra do sistema prisional. O resultado foi divulgado pela direção do Depen e fizeram parte do processo 127 instituições, destas 113 atenderam todos os requisitos.

Em segundo lugar na concessão do Selo ficou Minas Gerais, com 31 empresas classificadas, e em terceiro Espírito Santo, com 13 empresas selecionadas. O selo Resgata é válido por um ciclo e as instituições contempladas não poderão se inscrever nas novas edições, com previsão ainda para o primeiro semestre deste ano.

O investimento em ressocialização no Estado resulta em 31% dos presos trabalhando nas unidades prisionais, por meio de 180 convênios com empresas e órgãos públicos. Em 2011, por exemplo, pouco mais de mil apenados exerciam atividade laboral.