Amanda Menger e Zahyra Mattar
Tubarão

Uma das áreas que deveria ser prioridade para o crescimento sustentável e planejado dos municípios da Amurel é a questão do esgoto. A região dispõe de belezas naturais e atrativos turísticos incomparáveis com muitos outros lugares do estado. Mas peca quando se trata do básico. Neste caso, o saneamento. Aos poucos, os líderes políticos começam a abrir os olhos para o problema e empenham-se em buscar alternativas. Fato um: investir em saneamento não rende votos, afinal, tudo fica enterrado. Fato dois: este tipo de obra é extremamente caro.

Assim como há expectativa de crescimento para os próximos anos, criou-se também um verdadeiro desafio para os prefeitos eleitos: resolver parcialmente ou iniciar algum tipo de investimento na área de saneamento básico. Em alguns locais, isto já é verificado.

Hoje, em Gravatal, será inaugurado, às 16 horas, o sistema de esgoto sanitário do município que compreende a Bacia B da região de Termas do Gravatal e a estação de tratamento de esgoto. A obra, feita pela Casan, teve investimento de R$ 5.143.076,00. Beneficiará 6.079 habitantes e possibilitará 663 novas ligações prediais.

Em Braço do Norte, o contrato de gestão compartilhada foi assinado em 2004 entre a Casan e a prefeitura. Uma das condições para renovar o contrato é a construção da estação de tratamento de esgoto. Segundo informações da Casan, o projeto da estação está pronto, porém, ainda não há previsão de quando sairá do papel. Há uma expectativa que isso possa ocorrer em 2009.