Wagner Silva
Braço do Norte

Os últimos meses do ano foram de sofrimento para moradores do bairro União em Braço do Norte. Eles permaneceram a maior parte do dia sem água. Este é apenas um dos problemas enfrentados pela Casan no Vale, cenário que deve mudar a partir deste ano.

Responsável por atuar em seis municípios, a prioridade em 2009 é o projeto de saneamento em Braço do Norte, compromisso assumido pelo presidente da Casan, Walmor De Lucca. “As obras passam por uma burocracia e devem obedecer o previsto no plano diretor e na lei ambiental, o que torna mais demorado, mas os engenheiros devem, em pouco tempo, começar os estudos para o projeto”, destaca o agente regional Ivan Azevedo.

No último ano, a prioridade da estatal foi o término da central de tratamento de esgoto em Gravatal, iniciada em 2007. Foram investidos mais de R$ 4 milhões nesta obra. Este projeto atendeu 1,9 mil residências e o de Braço do Norte atingirá seis casas.

Para 2009, serão construídos oito reservatórios, com capacidade de 20 mil litros cada, divididos entre Armazém e São Martinho. “Também os projetos de esgoto para Rio Fortuna, São Martinho e Armazém estão previstos para este ano”, adianta Ivan.

Mudanças já começaram
A falta de energia – que não foi sentida pela população – foi a responsável pela falta de água registrada no bairro União, em Braço do Norte. O agente regional da Casan, Ivan Azevedo, explica que, devido à falta de energia, as bombas que funcionam automaticamente para jogar a água aos pontos mais altos do município não foram acionadas. “Com o problema, o ar entrou na tubulação e demoramos para retirá-lo do sistema”, explica.

Ele acrescenta que o problema foi somado ao período em que muitas pessoas saem de férias e a pressão da tubulação é maior. “Tivemos problemas na rede, assim as caixas d’água eram abastecidas à noite, mas durante o dia, com o uso, faltava. Todos acham que é fácil resolver, mas até descobrir onde estão os problemas perdemos horas, dias. Hoje, a água está no nível normal para abastecer toda a cidade”, informa.

Para minimizar os problemas, Ivan informa que, além do projeto de saneamento, a estação de tratamento da água deve ser ampliada, um investimento que supera R$ 300 mil. “O município cresce e o sistema não comportará. Teremos que investir para não nos depararmos com novos problemas no futuro”, afirma.

Mas Ivan diz que, por enquanto, outros projetos são executados. No último ano a gestão compartilhada entre Casan e a prefeitura de Braço do Norte iniciou a construção da rede para saneamento básico no bairro Nossa Senhora de Fátima. “Iniciamos lá, mas em cada área da cidade faremos uma central coletora, ligadas às fossas sépticas. Após serem tratadas, serão enviadas para uma estação de tratamento”, explica o agente.