Tubarão

O cronograma de obras no Sistema de Esgoto em Tubarão foi iniciado nesta quarta-feira (21). A 1ª etapa da obra deverá ser concluída até maio do ano que vem e os investimentos previstos giram em torno de R$ 58 milhões. A iniciativa garante aos tubaronenses qualidade de vida e, consequentemente, melhores condições de saúde.

De acordo com o engenheiro da Tubarão Saneamento, Willian Gomes Figueiredo, os trabalhos iniciaram em janeiro passado na área central e deverão ocorrer por 14 meses. “Contamos com o apoio e colaboração e entendimento de todos. Em um primeiro momento a obra será executada nas regiões do Centro, Vila Moema e Recife serão mais de 30 mil metros de rede. Os trabalhos em uma via ou quadra não deverão levar mais de  duas ou quatro semanas para ser finalizados”, explica.

Todos os moradores da área urbana de Tubarão, tem acesso à água tratada, porém quando o assunto é tratamento de esgoto a cidade vai na contra-mão. O tratamento de esgoto no município é inexistente. Santa Catarina, inclusive, entre os três Estados do Sul é o pior neste quesito, apenas 20% do Estado possui tratamento de esgoto.

Conforme Willian, a expectativa da Tubarão Saneamento, a cidade terá 9% de esgoto tratado até maio do ano que vem. “Vamos trabalhar muito para este quadro ser revertido. Até o final da concessão que ocorrerá em 2042, queremos que 95% do município tenha o esgoto tratado”, destaca. Ele lembra que o Rio Tubarão é a décima bacia mais poluída do Brasil.

Um estudo do Instituto Trata Brasil em parceria com a Sabesp mostra que a universalização do saneamento básico em 20 anos traria ao país benefícios econômicos e sociais de R$ 537 bilhões. Esse dinheiro viria, por exemplo, da redução dos custos com internações hospitalares, da diminuição de tempo de afastamento dos trabalhadores por doenças, da melhora na educação e na geração de empregos. Pelos cálculos do estudo, a cada R$ 1 mil que se investe na expansão da infraestrutura de saneamento, a sociedade brasileira obtém R$ 1,7 mil de retorno social no longo prazo.

Dia Mundial da Água é comemorado com ações de conscientização

Seja para comemorar avanços e ideias inovadoras ou para denunciar o descaso e a degradação, cada vez mais empresas e cidadãos se mobilizam em torno do Dia Mundial da Água, comemorado hoje, para debater, trocar, aprender e refletir sobre este recurso tão vital à humanidade. A Tubarão Saneamento, responsável pelos serviços de água e esgoto em Tubarão, preocupada com a conservação dos recursos hídricos, tem adotado uma política de incentivo ao uso consciente da água, por meio de mudanças culturais.

Em comemoração alusiva à data, as Fundações Municipais de Meio Ambiente (Funat) e de Educação, em parceria com a Tubarão Saneamento, organizaram um cronograma de visitas, para alunos da rede municipal de ensino conhecerem a Estação de Tratamento de Água (ETA). A iniciativa faz parte do Programa Portas Abertas, que possibilita apresentar processos ali realizados, participando ativamente de ações de conscientização, com foco na valorização do uso consciente da água. “Desenvolver a consciência ambiental requer despertar em cada um, a importância do ambiente em que vivemos, que deve ser preservado como um tesouro, do qual temos a responsabilidade de guardar, e que não devemos destruir nem desperdiçar. A melhor forma de educação moral e ética é aquela que é dada pela prática cotidiana”, destaca a diretoria da concessionária.

Segundo a Organização Mundial das Nações Unidas, a água potável limpa, segura e adequada é vital à sobrevivência de todos os organismos vivos e para o funcionamento dos ecossistemas, comunidades e economias. Mas a qualidade da água em todo o mundo é cada vez mais ameaçada à medida que a população humana cresce, atividades agrícolas e industriais se expandem e as mudanças climáticas ameaçam alterar o ciclo hidrológico global. 

 Cada pessoa consome, em média, 200 litros de água por dia. Com bom senso, esse número cai facilmente para 150 litros por dia. “Economizar água é um dever de todo cidadão. Esse recurso natural é essencial à vida e, apesar de renovável, também é finito. O líquido transparente, tão precioso, não é gasto apenas na sua forma original. É necessário também para a produção de quase todos os bens de consumo do planeta”, reforça a diretoria.