Wagner da Silva
Braço do Norte

As polêmicas que envolvem o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Braço do Norte ganharam novo capítulo. Além das exonerações de três motoristas, sexta-feira, o coordenador da unidade, Filipe Macalão, foi ameaçado segunda-feira à tarde, durante a sua folga. Ele registrou o caso na Central de Polícia Civil de Tubarão. A intimidação foi feita de um telefone público de Braço do Norte, localizado em frente ao Posto de Saúde do centro.

A ameaça preocupou Filipe, por isso, procurou a polícia. “A pessoa falou que meus dias como coordenador do Samu estavam acabados. Isso não me incomodou, mas a seguir a pessoa afirmou que sabe onde moro e onde minha esposa trabalha e que era para fica esperto. Por isso, resolvi procurar o auxílio do órgão competente”, conta.
O coordenador relata ainda que fez contato com a unidade do Samu em Braço do Norte, para saber se alguém havia solicitado o seu telefone, e teve uma nova surpresa. “Disseram que receberam vários telefonemas com ameaças. O pessoal está assustado. Independente disso, a equipe não deixará de prestar serviço à comunidade”, garante Filipe.

Para ele, o problema é não saber até que ponto poderão chegar as ameaças. “É uma situação complicada. Temos dificuldades até mesmo para analisar as situações durante o serviço, pois não sabemos onde estas pessoas querem chegar”, observa.