Foto Reprodução Internet

Desde o início da pandemia provocada pelo coronavírus, uma corrida mundial em busca de máscaras de proteção fez com que elas sumissem das prateleiras. O Ministério da Saúde está realizando compras de fornecedores nacionais e internacionais, em grandes quantidades, para garantir a proteção dos profissionais de saúde, que trabalham na assistência às pessoas doentes.

Enquanto isso, o resto da população foi orientada pelo Ministério da Saúde a usar máscara de tecido. Conforme o Ministério, além de eficiente, a máscara é um equipamento simples, que não exige grande complexidade na sua produção e pode ser um grande aliado no combate à propagação do coronavírus no Brasil, protegendo você e outras pessoas ao seu redor.

Mas será que o uso da máscara de tecido é mesmo eficaz contra o coronavírus? Ainda não há comprovação cientifica. 

“Sabe-se que foi utilizada no serviço de saúde, mas deixou de ser usada porque tinha eficácia muito menor que as máscaras cirúrgicas”, diz o médico infectologista de Tubarão Rogério Sobroza.

Isso não significa que as máscaras de tecido não podem ser usadas, disse Rogério. Ainda funciona como barreira para a propagação do vírus, porém, em um nível menos expressivo.

Pode ser usada em locais públicos, estabelecimentos comerciais, porém, em hospitais a Anvisa não permite que o profissionais de saúde usem outro tipo de máscara que não seja cirúrgica.

Para o restante da população que precisar frequentar locais com grande contaminação é preciso ter cuidados redobrados com a higiene e trocar a máscara de tecido com mais frequência.

Rogério explica que nenhuma máscara vai fazer diferença se a pessoa não souber usar, “e o que vai determinar a diminuição do contágio ainda é o afastamento entre as pessoas”.

 

Recomendações do Ministério da Saúde

Para ser eficiente como uma barreira física, a máscara caseira precisa seguir algumas especificações, que são simples. É preciso que a máscara tenha pelo menos duas camadas de pano, ou seja dupla face.

E mais uma informação importante: ela é individual. Não pode ser dividida com ninguém. As máscaras caseiras podem ser feitas em tecido de algodão, tricoline, TNT ou outros tecidos, desde que desenhadas e higienizadas corretamente. O importante é que a máscara seja feita nas medidas corretas cobrindo totalmente a boca e nariz e que estejam bem ajustadas ao rosto, sem deixar espaços nas laterais.

“O tempo máximo para usar a máscara é de 2/3 horas ou quando sentir que o acessório está úmido. Neste caso é preciso levar uma máscara reserva na bolsa”, orienta Rogério.