Carolina Carradore
Tubarão

Extinguir cargos comissionados em setores públicos, acabar com a polícia comunitária e afastar qualquer possibilidade de privatização. Essas foram as principais propostas apresentadas pelo candidato ao governo do estado Carmelito Smieguel (PMN). Ele foi sabatinado ontem, na Amurel, em Tubarão. O encontro foi promovido pelo Grupo WSol em parceria com Associação dos Profissionais de Imprensa de Tubarão (Apit).

Servidor público há mais de 30 anos, Carmelito está há pouco mais de um ano no PMN. Ele começou sua vida política no PV, em 2004, quando concorreu à câmara de vereadores de Joinville. Obteve menos de 100 votos. Ontem, Carmelito prometeu acabar com as secretarias regionais. “Isso é uma centralização, pois o governo está em toda parte do estado. As SDRs nada mais são do que um cabide de emprego”, disparou.

Segundo ele, o recurso economizado com o fechamento de boa parte dessas secretarias seria o suficiente para construir pelo menos quatro hospitais no estado. Carmelito trabalha na administração do Hospital São José, em Joinville, e, como conhecedor do setor, pontua como plano de governo melhorias no salário do quadro clínico e a ausência de contratação de médicos que possuam consultório particular para trabalhar em hospitais públicos.

O servidor público quer também extinguir cargos comissionados em setores públicos. “Se isso for colocado em prática, vamos economizar mais da metade da folha de pagamento e remanejar funcionários concursados para essas vagas”, detalha.

Vida política
Carmelito Smieguel é natural de Ibirama, mas mora há mais de 30 anos em Joinville. O candidato ao governo do estado já representou o Partido Verde. Em 2004 e em 2008, disputou uma vaga na câmara de vereadores de Joinville. Também concorreu a deputado estadual na campanha eleitoral de 2006.