Este sábado (15) será o Dia D de vacinação contra o sarampo em Santa Catarina. As unidades de saúde deverão abrir das 8h às 17h para vacinar pessoas com idade entre seis meses e 49 anos. Deve se imunizar quem não tenha tomado as doses contra a doença ou que não esteja com o esquema vacinal completo, diz a Diretoria de Vigilância Epidemiológica do estado (Dive-SC).

Conforme dados divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde na sexta-feira (14), já foram confirmados 47 casos de sarampo neste ano, em 12 municípios catarinenses:

Florianópolis – 17
Joinville – 13
Porto União – 6
Jaraguá do Sul – 2
Schroeder – 2
São José – 1
Guaramirim – 1
Blumenau – 1
Itá – 1
Maravilha – 1
Três Barras – 1

Videira – 1

Em Florianópolis, o Norte da Ilha de Santa Catarina vive atualmente um surto da doença. Na terça (11), foram confirmados sete casos de pessoas que deram entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Norte no fim de semana anterior.

Doses da vacina
As pessoas que não têm mais a caderneta de vacinação ou que não lembram se já tomaram a vacina devem aproveitar o Dia D para se vacinar. A Dive-SC orienta que, de seis meses a 29 anos, é preciso ter tomado duas doses da vacina ao longo da vida. De 30 a 49 anos, apenas uma.

A vacina contra o sarampo é indicada nas seguintes faixas etárias:

6 meses de vida: dose zero
1 ano de idade: primeira dose

1 ano e 3 meses: segunda dose e última dose por toda a vida

No momento, segundo a Secretaria de Saúde, a maior preocupação é com os jovens adultos com idade entre 20 e 29 anos, por ser um público que costuma frequentar shows, bares, festas e locais de grande circulação, facilitando a transmissão da doença. Desde o início do surto de sarampo no estado, ainda 2019, até o dia 8 de fevereiro deste ano, já foram confirmados 148 casos nessa faixa etária.

A doença e os sintomas

O sarampo uma doença respiratória que pode causar complicações, como pneumonia, e, em casos mais graves, levar à morte. A transmissão ocorre de pessoa para pessoa por secreções expelidas na tosse, no espirrar ou na fala. O vírus pode permanecer no ambiente por até duas horas.

Os sintomas são:

febre alta
coriza
tosse
olhos avermelhados
manchas vermelhas