Tubarão
Liliane Dias

Por haver um fenômeno chamado ‘Lua Azul’ não significa que a lua estará hoje (31) na cor azulada. O evento astronômico que ocorre a cada dois anos trata-se de uma segunda lua cheia dentro de um mesmo mês do calendário. “Isso por correção dos dias do calendário lunar (28 a 29,5 dias)”, explica o tarólogo e astrólogo Luiz Henrique, de Tubarão.

Coincidentemente, este ano o Halloween ocorre na mesma data. Mas, como outras festas folclóricas, são reminiscências de antigos rituais e celebrações ditas pagãs. “Há, no entanto, outras influências muito maiores atuando nesta data. A começar pela lua cheia em conjunção com Urano, em Touro. Touro é regido por Vênus, um símbolo de fertilidade e feminilidade”, detalha o tarólogo.

Já Urano age como um rebelde visionário que, por onde passa, deixa sua marca de revolução e abertura para o futuro. “Essa Lua Azul em Touro invoca a Rebelião do Feminina. A força que se arremete contra a forma como as coisas vem sendo feitas até aqui”, reforça.

Luiz Henrique explica que isso não se resume a uma simples questão de gênero. “Trata-se do fim de um modelo estéril e incapaz de gerar futuro para todos nós. Isso tudo se deu como um sufocamento/estrangulamento do feminino em cada um de nós”, avalia.

O fato de simplesmente não se importar com os outros por ser confortável e cômodo, para o tarólogo, remete à ideia de que não podemos fazer nada, e assim nada muda. “Nós que advogamos direitos sobre a genitália dos outros, que naturalizamos o sacrifício de crianças escravizadas e sem estudo, que não conseguiremos terminar esse parágrafo porque distração e entretenimento são um vício, uma droga particular”, acrescenta.

Tudo isso é sendo ativado com essa Lua Azul Cheia em Touro. “Oposta ao Sol que está no signo de Escorpião. Que ainda, por força da influência desse feminino, poderá trazer muito questionamento a respeito das sexualidades e do livre exercício disso, até mesmo porque a verdadeira liberdade de todos começa por aí”, pontua.

Os ciclos
Outros ciclos muito mais fortes influenciam o panorama global neste momento. Pois, Luiz Henrique explica que, desde o eclipse de dezembro, estamos em uma espécie de ‘barraco no céu’. “Júpiter, Saturno e Plutão em conjunção demolindo com o que achávamos que era real e todas as conspirações que passaram a ser fatos”, detalha o astrólogo.

Conforme ele, isso ocorre justamente quando já não temos mais nem arbítrio e capacidade de distinguir o que é real ou fake news. “Alívio mesmo só em março. Sairemos de um ano bissexto para o primeiro dos próximos quatro. O ano de 2021 vai ser o do rescaldo, depois do incêndio. Será dos escombros de uma sociedade psicótica na qual teremos de resgatar o humano”, prevê.

O ano será dos humildes e excluídos que, para Luiz Henrique, terão maior senso de realidade e conhecimento empírico para sobreviver à desestruturação promovida pelas grandes corporações. “O conhecimento organizado que serve somente para dar lucro, nas áreas farmacêutica, aerodinâmica, computação, medicina, entre outros, estará comprometido e, portanto, sem essência por conta do único e exclusivo lucro”, avalia.

Assim, o tarólogo afirma que novos ‘atores’ entrarão para protagonizar o futuro. “Entrarão em cena os que nunca tinham atuado. Para começar, uma pandemia, um vírus, a base da vida celular deveria ser mais bem entendida. Esse é o recado do meio ambiente. O ano de 2021 será o ano do ‘reab’, depois de tanta loucura”, finaliza.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul