Zahyra Mattar
Tubarão

A rua Laguna, no bairro Oficinas, mais parecia uma extensão do Rio Tubarão nesta sexta-feira, após algumas horas de chuva. O mais preocupante é que nem mesmo chegou a chover todo o previsto pelo meteorologia entre esta sexta-feira e domingo. A estimativa é que o acumulado fique entre 100 a 200 milímetros. Muita água para ser “filtrada” pelos bueiros insuficientes.

Os tradicionais pontos de alagamento, como a Padre Geraldo Spettmann e as proximidades do fórum, por exemplo, ficaram com uma lâmina de água bastante considerável. Os maiores problemas foram constatados no bairro Oficinas. A localidade tem um histórico de alagamento acentuado com a chuva é muito intensa. Caminhões tiveram dificuldade em trafegar em várias ruas.

A coleta de lixo também foi prejudicada. Em alguns locais, os profissionais de recolhimento quase tiveram que ir ‘a nado’ buscar os sacos de lixo. Devido ao feriado prolongado de Ano-Novo, o trânsito não ficou complicado no centro da cidade. O grande problema deve ser segunda-feira, caso a chuva continue. Conforme o setor de clima e previsão do tempo da Epagri/Ciram, entre esta sexta-feira e domingo, há a formação de um sistema de baixa pressão sob o estado, que provocará chuva intensa até sábado.

Para domingo, também é previsto chuva, mas de menor intensidade. “O maior volume de água será em Tubarão. Existe possibilidade de alagamento e outros problemas devido à chuva e possibilidade de temporais com ventos fortes”, alerta a meteorologista Gilsânia Cruz. Ainda, durante o primeiro fim de semana do ano, são previstos ventos intensos no litoral sul, mar forte e agitado, inclusive com possibilidade de ressaca em Imbituba e Laguna.

Ainda conforme a meteorologista, o tempo volta a melhorar segunda-feira, mas não na região. “A circulação marítima mantém a nebulosidade variável e a condição de chuva fraca a moderada na Amurel”, completa Gilsânia.