Caso dos arcos é uma das residências que marca a era do pioneiros italianos que desbravaram o interior do Sul catarinense - Foto: Júlio Cancelier

Quem gosta de aventura tem um passei desafiador na região: a Rota do Imigrantes, em Pedras Grandes! O caminho de 53 quilômetros pode ser percorrido a pé, de bicicleta ou mesmo de carro e, a cada ponto, o trilheiro revive os locais onde se estabeleceram os primeiros imigrantes italianos na antiga Colônia Azambuja.

O caminho começa na estação de trem de Pedras Grandes e passa pelas localidades de Canela Grande, Armazém, Rancho dos Bugres, Santo Antônio, São João, Rio Cintra, Azambuja e Riacho do Norte (veja a rota no vídeo abaixo).

Estes foram os nove locais destinados aos imigrantes que iniciaram uma nova vida, por volta de 1877, quando foi fundada a primeira colônia italiana no Sul de Santa Catarina. Até hoje ainda é possível encontrar vestígios do modo de vida através das casas antigas de pedra, engenhos, igrejas e cemitérios.

“Estes locais são muito importantes para a memória afetiva de centenas de famílias ítalo-brasileiras. Percorrer cada comunidade é voltar ao passado e reencontrar as origens”, valoriza o secretário de turismo da Prefeitura de Pedras Grandes, Júlio Cancellier.

Cemitério do Imigrante, na comunidade de Azambuja – Foto: Júlio Cancelier

O circuito foi criado pela secretaria não apenas com o intuito de fomentar o turismo no município, mas principalmente com a intenção de resgatar catarinense, pois foi a partir destas pequenas comunidades que o fluxo imigratório avançou para outras cidades do Sul do Estado.

“Estamos trabalhando a infraestrutura destes lugares com obras, caso da Rodovia da Imigração Italiana, que já estão trazendo resultados. Esta rota serve para desenvolver o nosso turismo, gerar emprego, renda e acima de tudo resgatar as nossas origens”, enaltece o prefeito de Pedras Grandes, Agnaldo Filippi.

Adega del Bizo, na localidade de Cachoeira Feia – Foto: Júlio Cancelier

O percurso também mostra os contrates de Pedras Grandes: as antigas edificações, as lápides tomadas pelo tempo e as novas edificações, que podem ser modernas, mas nem por isso deixam de transmitir o modo de vida que ultrapassou gerações. Em breve, a Rota do Imigrante Italiano será sinalizada para facilitar. Em cada comunidade será possível identificar os primeiros moradores e homenagear a memória dos pioneiros.

 

 

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul