Amanda Menger
Tubarão

Nos desenhos animados, é comum vermos histórias de amor entre animais de espécies diferentes. No mundo real, as coisas são diferentes. Por isso, um ‘romance’ entre um pombo e uma galinha tem chamado a atenção dos moradores do bairro São Bernardo, em Tubarão.

Há dez dias, uma galinha garnizé colocou dez ovos. De oito deles surgiram pintinhos, mas, de outros dois, os bichinhos eram um tanto diferentes. “Eram menores e com o bico parecido com o de pombo. Um deles morreu no dia seguinte, porque nasceu com uma falha na cabeça”, conta a dona de casa Gercioni Maria Fernandes, dona dos animais.

O bichinho ‘estranho’ tem recebido a atenção da dona de casa. “Estou cuidando, dando uma mistura de ração com farinha de milho e água. Quero ver o quanto ele cresce”, afirma.

A dona de casa não havia percebido o interesse do seu único pombo por galinhas. “Só me dei conta depois, quando ela (a mãe dos pintinhos) estava chocando os ovos. Mas, agora, o pombo já está ‘arrastando’ a asa para outra galinha. O galo continua procurando as fêmeas, mas não se interessa pelas pombas”, brinca Gercioni.
Nem os ‘irmãozinhos’ nem a ‘mamãe’ repeliram o pintinho diferente. “Ela tem dado atenção a ele como os outros, a mesma postura. Nunca tinha ouvido falar de um cruzamento entre galinha e pombo”, declara.

E a dona de casa tem razão. “Esse cruzamento é impossível. Eles são de espécies diferentes. O que pode ter ocorrido é uma teratogênese, ou seja, uma má-formação no desenvolvimento do pintinho, por isso o bico diferente”, explica o médico veterinário da Cidasc, Iraê Antonio Pizzolatti.

Para colocar ovos, a galinha não precisa acasalar-se com o galo. Os ovos que fecundados, ou galados, são chocados e é deles que nascem os pintinhos.