Zahyra Mattar
Tubarão

As condições das rodovias federais e estaduais em Santa Catarina estão melhores do que no ano passado. Ainda com as obras de duplicação, na principal estrada que corta o estado, a BR-101, e a tragédia que assolou o norte catarinense, foi possível regularizar a situação para garantir a temporada de verão, a mais lucrativa para Santa Catarina. Nas estradas estaduais, todos os pontos considerados críticos passaram por manutenção.

No início da noite desta sexta-feira, o trecho sul da BR-101, o principal acesso aos balneários mais procurados no estado, já registrava trânsito lento. Em Jaguaruna, Tubarão, Laguna e Imbituba, não havia formação de congestionamentos, mas o tráfego era intenso, especialmente no sentido sul/norte.
A BR-282, outro acesso muito procurado por turistas, foi totalmente liberada na tarde de sexta-feira. Parte da pista ainda estava interditada por causa de um deslizamento de terra em Santo Amaro da Imperatriz, na Grande Florianópolis. Na terça-feira, parte do asfalto cedeu, comprometendo a rodovia. O trânsito voltou ao normal na região, mas as famílias que moram próximas da área do deslizamento continuam impedidas de voltar para casa.

Para facilitar o fluxo de veículos, as obras da BR-101 continuarão paralisadas até o dia 5 de janeiro. A medida não é nova. Pelo contrário. É adotada desde que as obras iniciaram. Durante temporada de verão, as obras serão mais fortes nos pontos já atacados. A intenção do Departamento Nacional de Infra-Estrutura em Transportes (Dnit) é trabalhar na liberação de novos trechos duplicados e não criar novos desvios.

Equipes de conservação e manutenção do departamento estão de plantão para eventuais emergências. A sinalização, nos pontos considerados mais críticos (os próximos a desvios, principalmente) é reforçada. A previsão da Polícia Rodoviária Federal é que até terça-feira o tráfego triplique, no comparativo com esta sexta-feira. De qualquer forma, o maior alerta continua a ser para o trecho sul da BR-101. São mais de 50 desvios entre Palhoça e Passo de Torres, na divisa com o Rio Grande do Sul.