Brasília, DF

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou ontem que não haverá acordo se não houver flexibilização nas negociações da Rodada Doha, que ocorrem atualmente na Organização Mundial do Comércio (OMC), em Genebra.

“Se não houver uma efetiva diminuição dos subsídios dos Estados Unidos e se não houver uma efetiva flexibilização para o mercado agrícola europeu, não tem acordo e cada um que arque com sua responsabilidade”, disse.

Lula afirmou que os americanos e europeus “acham que os países emergentes têm que se subordinar à lógica deles” e estão habituados a um tempo em que “não tinha negociação, eles impunham o que eles queriam e os outros eram obrigados a aceitar”. Mas, atualmente, segundo Lula, é preciso levar em conta a existência dos países emergentes.

Lula afirma que um caminho para amenizar a crise alimentar no mundo é incentivar os países mais pobres a plantarem alimentos. “Para isso, é preciso que haja perspectiva de mercado, para eles venderem seus produtos”, afirma.