O plantio do arroz dever terminar nas próximas semanas.
O plantio do arroz dever terminar nas próximas semanas.

Karen Novochadlo
Tubarão

Os rizicultores estão otimistas para o próximo ano. Na região de Tubarão, cerca de 80% dos hectares já foram plantados. A meta é que o trabalho esteja concluído ainda nesta primeira quinzena do mês. A produção brasileira deve reduzir em um milhão de sacas. Isto fará que o valor da saca suba um pouco.

Se as condições climáticas favorecerem, a produtividade será de aproximadamente sete mil quilos por hectare em Tubarão. O principal estado produtor, o Rio Grande do Sul, pretende reduzir de 5% ou 8% a área plantada.
Este ano, apesar de o governo ter realizado vários leilões de preço e comprado bastantes sacas, os produtores tiveram prejuízo em todo Brasil. De acordo com o gerente financeiro da Cooperativa Agropecuária de Tubarão (Copagro), Aclis Fortunato, as medidas vieram tarde demais. Os produtores já tinham vendido 90%.

Mesmo com a baixa produção na região, o preço do arroz caiu. O motivo foi a superssafra no Rio Grande do Sul, que representa 60% do mercado brasileiro. Foram nove bilhões de toneladas. As importações de arroz dos países que compõem o Mercosul agravam o problema.
As perdas não foram maiores por causa das exportações. Na região, foram feitas vendas para a África e América Central.
Hoje, o preço da saca de 50 quilos já está em R$ 24,00. Há alguns meses, era vendida a R$ 20,00. Mas, para que haja lucro, é necessário que chegue a R$ 25,80. Um cenário diferente de 2010, quando custava R$ 30,00.

O arroz em números

♦ Hoje, os produtores associados à Copagro cultivam 22,5 mil hectares, nos municípios de Tubarão, Jaguaruna, Imaruí, Sangão, Capivari de Baixo Treze de Maio, Paulo Lopes, Laguna, Imbituba e Garopaba.
♦ A região produz o correspondente a 1,3% de toda a produção do Brasil e 13% do que colhe o estado anualmente. O percentual é considerado expressivo se o tamanho da região for comparado com outras áreas produtoras.
♦ A safra deste ano, cuja colheita ocorreu em março e abril, foi de aproximadamente 2,497 milhões de sacas do grão.
♦ Em relação ao ano passado, este número equivale a uma queda de 15% na produtividade. E o preço do arroz caiu 30%.