No começo deste ano, um estudo feito pelo governo do estado apontou que existem 4,8 mil quilômetros de rodovias pavimentadas, 1,5 mil quilômetros de estradas não pavimentadas e 129 pontos críticos na malha viária de Santa Catarina.
No começo deste ano, um estudo feito pelo governo do estado apontou que existem 4,8 mil quilômetros de rodovias pavimentadas, 1,5 mil quilômetros de estradas não pavimentadas e 129 pontos críticos na malha viária de Santa Catarina.

 

Karen Novochadlo
Gravatal
 
Apesar da operação emergencial de tapa-buracos na SC-438, que liga Tubarão ao Vale do Braço do Norte, os motoristas ainda precisam redobrar a atenção ao transitar pela rodovia, principalmente no trecho entre a Cidade Azul e Gravatal. A quantidade de buracos é motivo de muitas reclamações.
 
O paliativo foi realizado em julho deste ano. Custou R$ 170mil. Mas o efeito ficou bem abaixo do esperado. A rodovia continua com os “mesmos” buracos. Tanto que o presidente do Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra), Paulo Meller, chegou a dizer, em um evento em Braço do Norte, que a SC-438 era uma das piores rodovias do estado.
 
Para melhorar, só mesmo com um projeto de revitalização completo, cujo desenvolvimento prático é previsto para até cinco anos. Segundo Meller, técnicos do órgão fazem o levantamento do que precisa ser feito na SC-438. O trabalho pretendido é no trecho entre Tubarão a Orleans.
 
As obras contemplarão a implantação de uma nova rede de drenagem e a mudança de alguns acessos a municípios. Ainda não está definido qual será o custo total deste trabalho.
 
Meller também antecipa que em dezembro deste ano será lançado um pacote de obras, no qual é prevista a pavimentação de dois mil quilômetros  de rodovias estaduais. Ao todo, serão investidos R$ 300 milhões, em recursos angariados por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), para melhorar a malha viária. 
 
“A SC-438 deverá ser inclusa neste pacote, que. A incógnita é quando a obra, de fato começará, já que este programa tem estimativa de ser começado e finalizado no prazo de cinco anos.