Câmara de Capivari de Baixo é foco de investigação devido às diárias
Câmara de Capivari de Baixo é foco de investigação devido às diárias

 

Zahyra Mattar
Capivari de Baixo
 
O ano de 2009, o primeiro de mandato da atual legislatura da câmara de vereadores de Capivari de Baixo, terminou de forma desastrosa. Eles gastaram, em cursos e viagens, a bagatela de R$ 283,3 mil. Foram, ao todo, 351 pedidos de diárias. O caso, contudo, veio à tona em 31 de agosto do ano passado e gerou uma polêmica sem precedentes  no município.
 
Uma reunião, no fórum do município, com todos os parlamentares e representantes do Ministério Público (MP), estava agendada para ontem. Mas a promotora Marina Modesto Rebelo foi deslocada para atuar, em caráter substitutivo, em Jaguaruna.
 
Com isso, o encontro foi reagendado para hoje. A reunião tem o objetivo de apurar se houve ou não uso indevido do dinheiro público e como será dado o andamento ao processo.   Na época dos fatos, o legislativo era presidido pelo vereador Valmiro Miranda da Rosa, o Bila (PMDB).
 
A justificatida dada para os gastos foi a participação em cursos de qualificação em Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre e viagens realizadas para angariar fundos para o município. 
No ano passado, Bila afirmou que era necessário dar qualificação aos vereadores e aos 20 funcionários da casa. No estado, em 2009, a câmara de Capivari foi a terceira que mais gastou verba pública com diárias, conforme o Tribunal de Contas (TCE). “Perdeu” apenas para Joinville e São Francisco do Sul.