Whashington (EUA)

O ex-senador John McCain, do partido Republicano, e a senadora Hillary Clinton, do Democrata, são tidos como os grandes vencedores da Superterça, eleições primárias dos Estados Unidos. Mas se McCain venceu tanto em número de estados, como entre os delegados do partido, Hillary ganhou o maior número de delegados, porém, perdeu na maioria dos estados em jogo. O balanço e o resultado final em vários estados foram divulgados ontem à tarde.

A senadora fortaleceu sua posição ao vencer em estados com grande número de delegados, como a Califórnia, Nova York, Nova Jersey e Massachusetts, este último uma decepção ao senador Barack Obama, rival de Hillary na disputa pela indicação do Democrata. Ele esperava contar com a vitória em Massachusetts devido ao apoio que recebeu de parte da família Kennedy.

A estratégia da campanha de Obama para a Superterça era perder por margem mínima nos grandes estados e vencer em grande número nos pequenos e médios para contrabalançar com as vitórias de Hillary. No partido Democrata, os delegados que vão à convenção são atribuídos através de um complexo sistema proporcional dos votos recebidos.

Hillary Clinton, contudo, venceu no estado de Tennessee (85 delegados), considerado parte vital da estratégia de Obama, cujo triunfo em outro estado também de grande importância, o Missouri (88 delegados), foi por menos de 1%. De qualquer modo, Obama venceu em 13 estados contra oito de Hillary Clinton.

Os republicanos votam sábado no Kansas, na Louisiana e em Washington. Nas primárias de terça, o ex-senador John McCain consolidou sua posição de favorito no Republicano não só por ganhar a disputa na maioria dos estados em jogo, como também pelo fato dos delegados do partido terem se dividido entre Mike Huckabee e Mitt Romney.

Romney havia prometido continuar a lutar por sua indicação a candidato do partido, enquanto Huckabee considerou que o processo é agora “uma luta a dois”, entre ele e McCain.