A trajetória política da atriz Regina Duarte teve vida curta em meio a polêmicas e discussões desde o primeiro convite para ingressar na equipe do Presidente da República, Jair Bolsonaro.

Após um período – cerca de um mês e meio – em que foi chamado de ‘namoro’ entre ela e Bolsonaro, Regina tomou posse no dia 4 de março como secretária especial da Cultura. No entanto, o cargo ocupado não teve sucesso.

Em quase três meses, em 20 de maio, ela deixou a Secretaria Especial de Cultura do governo. A atriz alegou sentir falta da família, mas para continuar sua contribuição com a cultura brasileira, ela assumiria a Cinemateca em São Paulo, o que também não foi promissor.

A exoneração da secretaria, como já tinha sido anunciada, foi publicada em uma edição extra do Diário Oficial da União, na madrugada desta quarta-feira (9).

Regina Duarte compartilhou em seu instagram o fim dessa ligação com o governo por meio do decreto assinado ontem (9) pelo presidente com a imagem do comunicado. No post, ela comentou a demissão. “Deu-se! Ufa”, escreveu.

Foto destaque: Sérgio Lima / AFP