Zahyra Mattar
Tubarão

A redragagem do Rio Tubarão, deste a parte urbano do manancial até a foz, em Laguna, vai demorar. O próprio vice-prefeito de Tubarão, Pepê Collaço (PP), admite que dar qualquer prazo agora é morder a língua.

Apesar disso, o projeto não está abandonado ou esquecido em alguma gaveta em Brasília. Pelo contrário. Ontem, uma reunião entre Pepê e gestores municipais, estaduais e representantes de entidades de classe serviu para alinhavar a continuidade da articulação para viabilizar a obra.

A primeira parte deste projeto, orçado em R$ 80 milhões, está pronta desde setembro do ano passado. Trata-se da batimetria. Como a cifra é alta, o município de Tubarão inscreveu o anteprojeto da redragagem no PAC 2, do governo federal.

“Não existe qualquer possibilidade de a prefeitura de Tubarão, Laguna ou Capivari de Baixo bancar este valor sozinhas. Hoje (ontem) definimos que é mais fácil pleitearmos os recursos juntos. E o primeiro passo será obter a licença ambiental. Sem este documento o projeto nunca vai ser aprovado”, antecipa Pepê.

Com a licença ambiental em mãos, os três municípios diretamente impactados buscarão verba junto ao ministério das Cidades. Seja à obra física, seja à elaboração do projeto. “O que vir é lucro. Trata-se de uma obra complexa, cara e altamente impactante em termos ambientais”, reitera o vice-prefeito de Tubarão.

Saiba mais

A primeira parte do projeto de redragagem do Rio Tubarão, orçado em R$ 80 milhões, está pronta desde setembro do ano passado. Trata-se da batimetria, que quantifica o assoreamento do rio para que a calha possa ser redragada e retificada. O último trabalho deste tipo foi realizado em 1982.

A medição foi realizada, pela Cidasc, a cada 50 metros em 31 quilômetros do rio, desde a ponte Cavalcanti até a foz, na Lagoa Santo Antônio dos Anjos, em Laguna.
O projeto final é feito pela Fundação de Apoio à Educação, Pesquisa e Extensão da Unisul (Faepesul) e não há prazo de quando será executado. A ideia é iniciar a redragagem em Laguna e termina em Tubarão.

Amanhã, às 17 horas, os gestores de Tubarão, Laguna e Capivari, participarão da reunião de trabalho do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Tubarão e Complexo Lagunar. Eles levarão a questão da redragagem à discussão e pedirão auxílio no que diz respeito a obtenção do licenciamento ambiental.