#Pracegover Na foto, ministro da Saúde, Marcello Queiroga, durante discurso
#Pracegover Na foto, ministro da Saúde, Marcello Queiroga, durante discurso

Por conta do ataque hacker ao site do Ministério da Saúde, a exigência de que viajantes apresentem o comprovante de vacinação para a Covid-19 para entrar no Brasil de avião pode ser adiada. A informação foi dada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, na manhã desta sexta-feira (10).

O ministro destacou que o ataque pode fazer com que o governo adie a obrigação do comprovante de vacinação, que está previsto. “Por conta dos que têm vacina e precisam comprovar para não ficar em quarentena. É possível que se postergue a portaria”.

A invasão ao sistema da pasta nesta sexta-feira (10) comprometeu o acesso a diversos serviços da pasta, como o aplicativo ConecteSUS, onde constam as informações quanto à imunização dos cidadãos.

Comprovante de vacinação

A cobrança do comprovante de vacinação para quem vai entrar no Brasil foi determinada a partir de uma portaria conjunta do governo e começaria a valer no próximo sábado (11). A determinação foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) de quinta-feira (9) como parte de medidas excepcionais e temporárias para conter a disseminação da Covid-19 na entrada de brasileiros e estrangeiros no Brasil.

Para quem chegar ao país por via aérea, será necessário apresentar às companhias o comprovante de vacinação para o coronavírus. Segundo a portaria do governo, serão aceitos os imunizantes aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa): CoronaVac, Oxford/AstraZeneca, Pfizer/BioNTech e Janssen. A última aplicação deve ter sido ministrada até 14 dias antes da entrada no país.

Além disso, o viajante terá de apresentar um teste com resultado negativo para infecção pelo Sars-CoV-2. Nesses casos, serão aceitos tanto o teste de anticorpos, feito até 24 horas antes do embarque, quanto o de laboratório (RT-PCR), com prazo maior, realizado até 72 horas antes da viagem. Outro documento necessário para ingressar no Brasil é a Declaração de Saúde do Viajante (DSV).

Quem não tiver se imunizado contra a Covid, terá de cumprir uma quarentena de cinco dias na chegada ao Brasil. Depois desse período, terá de ser submetido a um teste para detectar possível infecção por Covid-19. Se o exame der positivo, ou se o viajante se recursar a fazer a testagem, vai continuar em isolamento.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: Correio do Povo