O gerente da Kolina Chevrolet, em Tubarão, espera um aumento nas vendas após o anúncio da redução do IPI sobre os veículos
O gerente da Kolina Chevrolet, em Tubarão, espera um aumento nas vendas após o anúncio da redução do IPI sobre os veículos

 

Angelica Brunatto
Tubarão
 
As concessionárias de veículos de Tubarão e região já se preparam para receber mais e mais clientes. O mercado, que já é aquecido por aqui, tem tudo para “pegar fogo”. Toda essa boa expectativa tem um motivo: o anúncio da redução do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre os veículos, confirmado ontem pelo governo federal. O decreto já foi publicado no Diário Oficial da União.
 
O gerente de vendas da Kolina Chevrolet, em Tubarão, Carlos Alberto Bento, já está com o estoque pronto e a equipe animada. “Hoje (ontem) começamos a refazer a contabilidade para reduzir os custos. Até o fim desta semana os preços estarão adequados”, garante Carlos.
 
Em princípio, a medida deve vigorar até o dia 31 de agosto. Mas pode ser prorrogada. A intenção é fomentar a economia, que desde janeiro, no setor automotivo, tem tido uma queda.
 
Para se ter uma ideia, a queda do IPI derrubou a alíquota de um carro com motor 1.0 de 37% para 30%. Para veículos bicombustíveis com potência maior, o percentual abatido é de 5,5%. Já os automóveis abastecidos apenas com gasolina, a redução foi maior: 6,5%.
 
Com isso, um carro popular com preço em torno de R$ 25 mil, pode chegar a R$ 23 mil. E as facilidades para levar para casa um carro zero não param. Dentro deste pacote de medidas, o governo também anunciou também a queda, de 1% ao ano, do Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF) sobre qualquer tipo de operação de crédito à pessoa física.
 
Procura já começou
A redução do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre os carros, teve efeito imediato na região, ontem. A movimentação nas concessionárias foi bem acima da média.
Na Kolina Chevrolet, em Tubarão, por exemplo, muitos clientes pediam informações e orçamentos. “Recebemos diversas ligações de pessoas que queriam tirar dúvidas sobre o assunto”, conta o gerente da loja, Carlos Alberto Bento.
O pacote também já havia sido adotado em 2008 pelo mesmo motivo: fomentar a economia. “Naquela época deu muito certo. O consumo aumentou muito e esperamos que agora ocorra o mesmo”, projeta Carlos, animado. 
Neste ano, o governo federal espera que os descontos no preço de tabela dos automóveis possa chegar a 2,5%. Esta redução provocará uma renúncia de R$ 1,2 bilhão para os cofres federais.
 
 
Medidas do governo
 
Valores da redução das alíquotas do IPI
• Carros de mil cilindradas – redução de 7%.
• Carros entre mil e duas mil cilindradas (gasolina ou flex) – redução de 5,5%.
• Carros entre mil e duas mil cilindradas (gasolina) – redução 6,5%.  
 
Evitar desemprego
Além de fomentar a economia, que enfrenta baixo crescimento por causa da crise financeira internacional, outro objetivo do governo federal com a redução do IPI sobre a compra de carros é evitar as demissões no setor produtivo.  
 
Financiamentos
Os bancos, públicos e privados, prometem aumentar o volume de crédito, o número de parcelas e, também, reduzir o valor da entrada para a aquisição do carro novo. Outra novidade é que o Banco Central vai liberar até R$ 18 bilhões em depósitos compulsórios (dinheiro que os bancos são obrigados a recolher à autoridade monetária) para aumentar os recursos para o financiamento dos automóveis.
 
IOF
O Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF), com esta medida, será reduzido de 2,5% para 1,5% ao ano para todos os tipos de operação de crédito à pessoa física. Com este corte, o governo federal deixará de arrecadar R$ 900 milhões em três meses.