Balneário Gaivota

Insatisfeitos com salário, com horário de intervalo, reivindicando folga remunerada e alegando que as punições não são transparentes, os guarda-vidas de Balneário Gaivota hastearam, neste sábado (20) uma bandeira preta junto das bandeiras coloridas que indicam a situação do mar. O protesto ainda ocorre neste domingo (21) e busca chamar a atenção do Governo do Estado. Eles continuam trabalhando normalmente.

De acordo com informações do capitão Luiz Felipe Lemos, responsável pela Operação Veraneio no Sul do Estado, a manifestação só está acontecendo no local e não parte de todos os guardas. “Tem uns dois ou três que estão insatisfeitos e acabam acuando os outros. Alguns até alegam que são ameaçados”, revelou Lemos.

Atualmente os guarda-vidas recebem R$ 125, 00 ao dia, têm uma hora de intervalo e não recebem pelo dia não trabalhado, já que o serviço é voluntário. No entanto, estas condições não têm agradado a todos. “Eles cobram R$25,00 a mais ao dia, duas horas de intervalo e folga remunerada. Mas não há uma verba que vem do Governo para isto. Não aumentamos porque não queremos, é porque não temos condições”, alegou o capitão.

Em relação às punições, Lemos pontuou que há um código de conduta a ser seguido e se há algo a ser apurado, isto é feito de imediato para que ninguém fique sem receber. “Todo o momento em que estão afastados eles não recebem. Sempre buscamos resolver o mais rápido possível para não prejudicar ninguém”, acrescentou.

Pedidos não formalizados

Segundo Lemos, os guarda-vidas ainda não formalizaram os seus pedidos junto do Batalhão. Ele espera que nesta segunda-feira (22) haja uma conversa com a equipe de Balneário Gaivota, já que eles são os únicos de Balneário Rincão até Passo de Torres que estão declarando insatisfação.