Beatriz Juncklaus

Tubarão

\”Não estamos pedindo um favor, estamos lutando por um direito\”. A frase estava estampada em um cartaz que fez parte de uma manifestação na tarde desta segunda-feira (16). Mulheres, vestindo roupas pretas, pediam pelo fim da violência contra a mulher e também por justiça para Bruna Quintian, que foi esfaqueada e espancada pelo companheiro no último dia 8, em Tubarão. O homem fugiu logo após cometer a agressão.

Segundo Marcela Marques, amiga de Bruna, a jovem ainda está na UTI em estado grave, mas já apresenta momentos de consciência. De acordo com Marcela, Bruna chora e tenta se comunicar, mas é impedida pelos aparelhos respiratórios. Ela acredita que a amiga ainda está traumatizada pelo o que aconteceu, já que fica muito nervosa quando encostam nela. 

A tentativa de homicídio

O caso chamou a atenção da população pela brutalidade e também por ter sido cometido na frente do filho de Bruna, de 14 anos. O suspeito fugiu do local quando a polícia foi acionada para atender a ocorrência. Dias depois, ele, que é natural de Lauro Müller, se apresentou na Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (Dpcami) de Tubarão. O delegado Felipe Samir, responsável pela investigação, chegou a pedir a prisão preventiva do suspeito, que acabou sendo indeferida, e o homem foi liberado.

Fotos: Gislaine Fernandes/Divulgação/Portal Notisul