Acadêmicos de publicidade montaram uma “praia” para mostrar que antes era possível se banhar no rio. Na foto em detalhe a banda que interpretou um jingle sobre o assunto.
Acadêmicos de publicidade montaram uma “praia” para mostrar que antes era possível se banhar no rio. Na foto em detalhe a banda que interpretou um jingle sobre o assunto.

Tubarão

“Que cidade é essa? Que água é essa? Que rio é esse?”. Com estes versos, acadêmicos de publicidade e propaganda da Unisul realizaram uma manifestação, próximo à ponte Dilney Chaves Cabral, em Tubarão, na manhã de sábado. Em um barco, uma banda interpretou um jingle sobre o descaso da população com o rio.

Os acadêmicos montaram uma “praia” em uma das margens para demonstrar que há algumas décadas era possível banhar-se nesta mesmas águas, hoje tão poluídas. E ‘falsos pescadores’ posicionaram-se em um barco. A ideia era mostrar como o rio era antes e como poderá voltar a ser no futuro, se todos cumprirem o seu papel.

“Buscamos com o projeto alertar as pessoas que poluem de todas as formas o nosso rio e que só prestam atenção nele quando ele nos apresenta o risco de enchente. Queremos chamar atenção de todos para o quanto o rio está mudando”, explica uma das organizadoras do evento, a acadêmica Karine Rabello Mendes.

Quem circulou pela ponte no momento da mobilização recebeu adesivos com o texto “SOS Rio Tubarão, Cidade Azul Alerta Vermelho”. Também foram colocados cartazes em frente à Casa da Cidadania e ao Notisul. A ação teve o apoio do Corpo de Bombeiros e da Guarda Municipal.