Karen Novochadlo
Tubarão

O inquérito sobre a morte do menino Pedro Henrique Ayala, 3 anos, ainda não foi concluído. A delegacia da Criança, do Adolescente e de Proteção à Mulher e ao Idoso pediu, no fórum de Tubarão, a prorrogação do caso. A decisão da justiça ainda é aguardada.

A criança faleceu no dia 9 de novembro do ano passado, após receber uma injeção, aplicada por uma estagiária no Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Tubarão.
Em dezembro de 2010, o delegado responsável pelo caso, Jair Tártari, solicitou um prazo maior ao fórum. Para concluir o inquérito, falta elaborar o relatório final.

Todos os envolvidos já foram ouvidos. O resultado do laudo cadavérico, realizado pelo do Instituto Geral de Perícias (IGP), foi inclusivo.

Pedro foi levado ao hospital pela mãe, a recepcionista Maiara Pereira, 22, e tio, o vendedor Fernando Pereira, 26. Ele apresentava vômito e dor de barriga. O menino foi diagnosticado com uma virose e internado. Por volta das 20 horas, recebeu a injeção e logo em seguida morreu.